Jovem taquaritinguense é preso após ser apontado como “serial killer” na região de Araçatuba (SP)

Após um trabalho de mais de 48h e mais de mil quilômetros rodados, policiais civis de Araçatuba (SP) e Valparaíso (SP) prenderam um jovem taquaritinguense, de 25 anos, apontado como um matador em série (serial killer) que age na região desde 2017. A prisão ocorreu na terça-feira (19 de Novembro), em sua residência localizada no Conjunto Habitacional Manoel Lopes Moreno, em Taquaritinga (SP). O preso foi levado para Araçatuba (SP) na manhã desta quinta-feira (21).

Shadow
Slider

De acordo com a investigação da Polícia Civil, o acusado confessou ter praticado três homicídios em Valparaíso; cidade onde residiu até Agosto deste ano, quando seu último crime foi praticado contra uma mulher. Os outros dois assassinatos aconteceram no ano de 2017 e as vítimas foram dois homens executados a tiros.

A Polícia acredita que o jovem esteja envolvido em outros cinco homicídios com as mesmas características; um deles é o assassinato de Maria de Fátima do Nascimento, de 43 anos, cujo corpo foi encontrado na manhã do dia 25 de Junho de 2019 nas margens da vicinal Dr. Adail Nunes da Silva, que liga Taquaritinga ao distrito de Jurupema. (Relembre o caso: http://www.tribunaonline.net/corpo-de-mulher-e-encontrado-proximo-a-vicinal-dr-adail-nunes-da-silva-em-taquaritinga-sp/ / http://www.tribunaonline.net/mulher-encontrada-morta-em-vicinal-de-taquaritinga-sp-e-identificada-pela-policia-civil/)

Em um dos casos mais recentes e que fez as autoridades chegarem até o rapaz, a vítima foi uma mulher de 23 anos. A moça foi assassinada a facadas e teve o seu pescoço cortado; o corpo foi abandonado em uma mata da zona rural de Valparaíso. Alguns hematomas encontrados no corpo dela, feitos com uma diferença média de duas horas para outros ferimentos, levaram os peritos a constatarem que ela também foi torturada pelo agressor. Outro fato que chamou a atenção das autoridades pela crueldade foi a evidência de estupro mesmo após a mulher já ter sido assassinada.

“Temos fortes indícios para acreditar que houve relação sexual após a morte da vítima”, disse o delegado José Abonísio em entrevista ao Jornal Regional Press; ele conduziu a investigação e comandou a força tarefa que prendeu o acusado.

Diante das semelhanças  encontradas nos homicídios praticados contra mulheres, a Polícia está convicta de que o rapaz é um serial killer. Outros delitos, em análise pelas autoridades, ocorreram em Matão (SP) e Valinhos (SP); municípios onde o acusado morou ou permaneceu por algum tempo. Assim como aconteceu em Valparaíso, as vítimas eram mulheres, brancas e com algum envolvimento em prostituição.

Os policiais que participaram da ação relataram que o jovem demonstrou frieza e sem nenhum comportamento de culpa ou ressentimento; o que caracteriza um quadro de psicopatia.

Informações obtidas pelo Jornal Tribuna relatam que o rapaz tem passagem criminal, mas não possui condenação pelos crimes que está sendo acusado.

A força tarefa da Polícia Civil contou com agentes da Delegacia de Valparaíso, GOE (Grupo de Operações Especiais) de Araçatuba e do Setor de Inteligência da unidade, além dos policiais civis de Taquaritinga e Valinhos.

(Foto e informações complementares: Jornal Regional Press)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *