Em Taquaritinga (SP): Conheça o projeto “De Mãos Dadas”, que acolhe crianças do Jardim Maria Luiza e bairros vizinhos

A iniciativa de uma moradora do Jardim Maria Luiza I, apoiada pela comunidade católica da Paróquia Sagrada Família de Nazaré, está beneficiando mais de cinqüenta crianças carentes no bairro com ações culturais, solidárias, religiosas e, principalmente, com refeições; é o Projeto “De Mãos Dadas”, que atende o público infantil todos os sábados com um delicioso café da manhã e atividades de voluntários que se interessam pela causa.

Shadow
Slider

Implantando em Abril de 2017, a ação é fruto de um antigo sonho que Cícera Venâncio Gomes cultivava. “Trabalho na cozinha de uma escola pública aqui no bairro e foi lá que comecei a perceber a necessidade de se fazer algo a mais por essas crianças. Inicialmente, eu e minha família pensamos em fazer alguma atividade durante o período das férias escolares, pois sabemos que, nesses meses, há crianças que ficam sem comer. Ainda assim, não resolveríamos tal questão e, então, decidimos organizar os encontros aos sábados, durante todos os meses do ano em um espaço cedido pelo Padre Hamilton Cesar Stempniewski, da comunidade São Pedro Poveda”, disse em entrevista ao Jornal Tribuna.

Ao compartilhar a idéia, muitas pessoas acreditaram na funcionária pública e decidiram ajudá-la. Foi com o apoio de voluntários da própria comunidade e parceria com estabelecimentos do município (como supermercados e padarias) que Cícera deu início ao projeto. “Nós conversamos com alguns empresários e eles passaram a fornecer pão, mortadela e refrigerante para fazermos os lanches; desde então, não falhamos em nenhuma  semana”, declarou Nicole, filha de Cícera.

Cícera é funcionária pública há vinte anos e, desde 2017, se dedica ao Projeto “De Mãos Dadas” 

A família ressaltou que, mesmo que o projeto esteja vinculado com a comunidade católica, crianças de todas as religiões participam das atividades. “Começamos atendendo seis crianças e hoje são mais de cinqüenta. Além de servirmos o lanchinho para elas, ensinamos como é importante a partilha das refeições e a empatia por pessoas que possuem outras crenças”.

Muitas vezes, o cronograma de atividades e refeições ‘extras’ depende de doações dos alimentos e de pessoas que se propõe em ensinar algo novo para as crianças. A realização de ‘macarronadas’ e almoços são obtidas através do engajamento de voluntários que fazem ‘pedágios’ e arrecadam os mantimentos; quando isso acontece, o aviso é passado para as famílias de casa em casa e por redes sociais. “A maioria das pessoas que moram aqui não possuem celulares ou internet; então, temos que avisar um por um, para que ninguém fique de fora”, enfatizou Cícera.

A funcionária ainda destaca as mudanças que notou no comportamento das crianças depois que elas começaram freqüentar o projeto. “Algumas delas demonstravam muita agressividade e pouca diálogo; hoje a diferença é bem notória. Eles passaram a se respeitarem mais, a pensarem nas outras crianças e levam essas novas atitudes para seus lares e no ambiente escolar. Algumas mães contam que os filhos delas passaram a repartir as refeições para que todos na casa pudessem comer, ou então, a guardarem tampinhas e lacres para doarem às campanhas. Pra mim, ouvir isso é maravilhoso! É de encher o peito de amor e gratidão e criar força para que essa ação nunca se acabe”, declara a funcionária.

No final de cada encontro, as crianças levam os alimentos que não foram consumidos para as suas casas, para que a família também desfrute do lanche. Tampinhas plásticas e lacres de alumínio são separados para ajudarem em campanhas sociais da cidade, como a aquisição de rações para animais de rua e de cadeiras de rodas para pessoas que necessitam.

Tampinhas plásticas e lacres de alumínio são separados para serem destinados a outros projetos sociais, engajados na aquisição de rações para animais de rua e cadeiras de rodas para pessoas que necessitam 

“Estamos muito felizes com o que temos hoje, mas temos a intenção de melhorar o nosso espaço. Como todos podem ver, as crianças comem neste barracão que conseguimos fazer no final do ano passado; é um bom lugar, mas precisa ser finalizado. Pensamos em fazer uma cozinha para que os lanches sejam preparados aqui mesmo pelas mães das crianças, com a intenção de que as famílias se aproximem cada vez mais do nosso projeto”, finaliza.

Barracão onde as crianças são acolhidas para comerem e brincarem nas manhãs de sábado; a estrutura foi obtida com esforços da própria comunidade e o próximo passo será finalizar o espaço e construir uma cozinha para que os lanches sejam preparados no local pelas mães das crianças que frequentam o projeto

O projeto “De Mãos Dadas” acontece todos os sábados, a partir das 9h, na Rua Alderico Bussadore Filho, no Jardim Maria Luiza I, e está aberto para todas as pessoas que desejarem conhecer a iniciativa. Para ajudar os voluntários a manter essa ação, basta entrar em contato com a secretaria da paróquia pelo telefone (16) 3253-2830 ou (16) 9.9374-6913.

Parte da equipe de voluntários que se dedicam ao Projeto “De Mãos Dadas”
Projeto “De Mãos Dadas”; mudando a realidade de crianças em bairros carentes de Taquaritinga (SP)

(Fotos: Alessandra Cason)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *