Presidente do Sindicato Rural de Taquaritinga (SP) cobra providências contra roubos e furtos no campo

O presidente do Sindicato Rural de Taquaritinga (SP), Marco Antônio dos Santos, cobrou autoridades políticas e policiais da cidade para quem tomem uma atitude urgente diante do alto número de roubos em propriedades rurais do município que vem aumentando, notoriamente, a cada mês.

Shadow
Slider

Marco concedeu entrevista para o radialista Auro Ferreira durante o Jornal da Mix na manhã de sexta-feira (1 de Novembro). Segundo ele, a situação está se agravando e os produtores rurais estão vivendo uma rotina de pânico constante.

“Os associados relatam as mais diversas situações que eles têm passado com esses marginais. Hoje não tem mais aquela coisa de que bandido vai assaltar somente a noite; eles estão agindo em qualquer hora do dia, a mão armada, tirando o produtor de cima do trator e levando seu maquinário embora, causando indignação e sensação de impotência. Só quem passa por isso sabe o trauma emocional que cada vítima se encontra”, declarou.

O presidente relatou que  ainda que não obteve resposta ao procurar as autoridades e acusa os responsáveis pela segurança pública de descaso do caótico cenário. “Não estamos vendo a apreensão desses bandidos. Todas as autoridades policiais (civil e militar), bem como os vereadores, o prefeito e até a Promotoria receberam ofícios emitidos pelo Sindicato; muitas vezes somos bem atendidos, mas não obtivemos o retorno que esperávamos. Enquanto isso, os fatos estão continuando e se agravando”, relatou. 

A ação de criminosos em propriedades rurais tem deixado os moradores com medo. Nos últimos anos os roubos na zona rural vêm aumentando e estão mais violentos, causando prejuízos e aterrorizando os moradores que residem nas áreas. 

“Queremos um trabalho mais eficiente. Não estamos “vendo” essa parte de investigação da polícia. Máquinas, que custam mais de R$ 100 mil, são levadas diariamente e não é possível que não saibam qual o destino delas”, finalizou.

Ao finalizar a entrevista, que teve participação do comandante da Guarda Civil de Monte Alto (SP), Gilberto Luiz Goulart, Marco defendeu a ideia de que a implantação de uma guarda civil na cidade seria uma das soluções para cessar as ações dos criminosos. “É uma proposta sensacional, mas falta vontade política de se fazer as coisas aqui na cidade. Eles (políticos) estão lá pra trabalhar; será que não estão vendo o que está acontecendo? Eles precisam se movimentar”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *