Corpo encontrado em trem que passava por Taquaritinga (SP) é identificado

O corpo do homem que foi encontrado na manhã de 8 de Dezembro (domingo), dentro de uma locomotiva da Rumo Logística que passava por Taquaritinga (SP), foi identificado pelo Instituto Médico Legal. Trata-se de Ademilton Antunes Moreira, de 39 anos, morador de Monte Mor (SP); cidade que fica a 250 quilômetros do município.

Shadow
Slider

Relembre o caso: http://www.tribunaonline.net/vigilantes-encontram-cadaver-entre-vagoes-de-trem-que-passava-por-taquaritinga-sp/

Segundo as informações policiais, Ademilton estava desaparecido desde a noite de 6 de Dezembro (sexta-feira). Ele teria sido visto pela última vez com amigos depois do seu expediente de trabalho e o motivo do crime ainda é um mistério para as autoridades que investigam o caso.

O técnico de segurança do trabalho estava com sua moto próximo de Campinas (cidade vizinha) e portava cerca de R$ 1.700. O veículo, documentos e pertences pessoais ainda não foram encontrados.

Em entrevista ao programa jornalístico ‘Cidade Alerta’, a esposa disse que a vítima chegou a enviar um áudio pelo Whatsapp avisando que iria se encontrar com algumas pessoas, mas logo estaria em casa. “Ow, deixa eu falar pra você, estou chegando aqui pra pegar o cachorro-quente, mas atrasei pra tentar localizar o “Fá” sabe? Vou pegar o “Fá” e o “Zóio” pra gente poder fazer aquele serviço amanhã, pra pelo menos quebrar o barranco lá do chuveiro, mas em dois minutos eu chego lá pra pegar o lanche, beijo”, disse a vítima, se referindo à duas pessoas que o auxiliariam na construção de sua casa. Os homens citados na conversa ainda não foram localizados.

Os familiares também relatam que Ademilton havia sido dispensado de seu trabalho há poucos dias e desconfiam que o autor do crime sabia que o trabalhador iria sacar o dinheiro da rescisão contratual. 

O detalhe que intriga as autoridades é que o trem da Rumo Logística não passa por Monte Mor (SP). Segundo o depoimento do maquinista, descrito no boletim de ocorrência, há duas possibilidades: Ademilton pode ter sido deixado no interior do vagão em Rio Claro (SP) ou em Araraquara (SP); cidades onde a locomotiva esteve parada por algumas horas. Entretanto, ambos os municípios ficam longe de onde o trabalhador foi visto pela última vez; são, pelo menos, 100 quilômetros da primeira cidade e o dobro da segunda citada.

Apenas o laudo pericial irá constatar se a vítima foi morta dentro do trem ou foi deixada no local já sem vida. A família deseja que o crime seja investigado como Latrocínio.

O corpo do trabalhador chegou a ser sepultado como indigente pois, segundo o IML, não havia possibilidade de se aguardar o resultado da identificação. Agora, familiares terão que recorrer à Justiça para fazer um novo enterro à vítima.

(Foto e ilustração: Cidade Alerta / TV Record)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *