Taquaritinguense relata caos em Viena após ataque terrorista

Os moradores de Viena – capital da Áustria – foram surpreendidos por tiroteios em pelo menos seis pontos da cidade por volta das 20h, na noite de 2 de Novembro (16h no horário de Brasília). O país, que lidera a lista dos melhores lugares para se viver no mundo, ainda passa por momentos de aflição enquanto as autoridades realizam buscas para deter todos os autores do ataque, que deixou quatro vítimas fatais e vinte e duas pessoas feridas; entre os mortos está um dos atiradores, baleado durante o confronto com a polícia. Ainda, quatorze pessoas foram presas na capital e na região de Niederösterreich.

Morando há dez anos na cidade europeia, a taquaritinguense Sarah Panosso Kattah conta que está em choque com o ocorrido. Em entrevista ao Jornal Tribuna, feita horas depois do atentado, a sensação de medo e insegurança ainda inquietava a família.

Sarah revela que estava em casa com os filhos, de 6 e 4 anos, quando soube do crime. “Uma amiga me mandou mensagem perguntando se estávamos bem e em casa, por volta das 20h20. As crianças já estavam dormindo e eu estava na cama também. Quando meu marido me contou sobre o atentado, eu estava respondendo a ela; minutos depois, começamos a receber vídeos e mensagens sobre o assunto. Entrei em choque, porque é um lugar que vamos com frequência para passear”, disse.

O primeiro local alvejado fica no centro de Viena, a oito quilômetros da residência a taquaritinguense, e é considerado um dos principais pontos turísticos da cidade. No momento em que Sarah falava com a equipe de jornalismo do Tribuna, ela relatava que a cidade estava um caos. “Há ambulâncias, viaturas policiais e helicópteros por toda a parte. A orientação do Governo é para que todos fiquem em casa, em segurança. As pessoas que estavam em estabelecimentos, como bares e restaurantes, devem permanecer no local até segunda ordem”, conta.

Ainda inconformada com a triste ocasião, Sarah explica que nunca imaginou viver uma situação semelhante a esta no país. “Pelo que sei, o último ataque terrorista em Viena foi há muitos anos. Aqui é uma cidade extremamente tranquila! Sem dúvidas, foi um choque para todos daqui”, finaliza.

Sarah com o marido Vinícius e os filhos Alice e Nicolas no centro de Viena, em um dos pontos turísticos onde os ataques ocorreram (Foto: Arquivo Pessoal)

A imprensa mundial noticiou que o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, se refere ao tiroteio como um “ataque terrorista repulsivo”, onde homens armados com rifles abriram fogo em seis locais diferentes de Viena.

Na manhã desta terça-feira (3), o centro da cidade ainda se encontrava amplamente cercado para facilitar o trabalho da polícia durante as buscas de outros possíveis terroristas, embora não esteja claro quantos atiradores participaram do ataque.

O ataque ocorreu horas antes do Governo Federal decretar o segundo lockdown no país para tentar conter o avanço da Covid-19. Muitas pessoas aproveitaram a noite para irem a bares e restaurantes antes que eles fechassem, o que durará até o final do mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *