Em Taquaritinga (SP): Pesquisa aponta 80,1% de aprovação à adesão de escola cívico-militar

A Prefeitura de Taquaritinga (SP) realizou uma consulta pública entre os dias 27 e 30 de Abril para saber a opinião dos moradores da cidade sobre a adesão do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares. A consulta foi realizada de forma online, através de formulário eletrônico disponibilizado no site oficial e contou com a participação de 3.093 pessoas, sendo 140 alunos, 1.026 pais de alunos, 1.714 cidadãos e 213 funcionários da Educação.

Os gráficos mostram que 80,1% dos participantes apostam no novo modelo de ensino; os mais favoráveis são pais de alunos (95%) e cidadãos do município (82,6%).  Alunos e funcionários da Educação foram os grupos que mais opinaram contra a implantação do projeto. Veja:

No dia 9 de março deste ano, o Ministério da Educação anunciou oficialmente o credenciamento de Taquaritinga (SP) para receber uma unidade da Escola Cívico-Militar. Dezoito dias depois, em sessão extraordinária, a Câmara Municipal aprovou – por 13 votos a 1 – a Lei Ordinária nº 4747 que autoriza a adesão do município ao programa.

Agora, a administração estuda o local que irá abrigar a unidade de ensino. Um dos critérios para a escolha é que a instituição atenda entre 500 e 1.000 alunos do Ensino Fundamental II e Médio em situação de vulnerabilidade social.

Em entrevista, o prefeito Vanderlei Mársico explicou que, “inicialmente, o programa seria implantado na Escola Estadual – Felícia Adelvais Pagliuso (no Jardim São Sebastião) por atender aos critérios do MEC e do Ministério da Defesa, mas que o local ainda segue indefinido”.

Atualmente, o Brasil conta com mais de 200 escolas cívico-militares, que já indicam registros positivos da educação após a instalação dessas unidades; entre eles, a melhora no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e uma redução significativa na evasão escolar. No estado de São Paulo, outras oito as cidades foram beneficiadas com o programa: Guarujá, Pirassununga, Barrinha, Santos, São Vicente, Taubaté e Bauru.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *