Em Taquaritinga (SP): Maioria das escolas particulares mantém ensino presencial suspenso até final de Março

Três dos quatro colégios particulares de Educação Infantil e Ensino Médio de Taquaritinga (SP) decidiram manter o ensino presencial suspenso mesmo após o decreto publicado pela Prefeitura Municipal na manhã da última sexta-feira (5), autorizando o retorno gradual dos alunos às instituições. O retorno, conforme explica o documento, é facultativo.

Apenas um deles retomou as atividades presenciais na segunda-feira (8). A unidade atende crianças e adolescentes e, segundo a coordenação, a escola já havia sido reaberta em Fevereiro, ficando por três semanas fechadas devido ao decreto municipal.

As aulas presenciais estavam suspensas desde o dia 23 de Março do ano passado e o retorno era previsto para o primeiro semestre de 2021. Entretanto, com o aumento de casos da Covid-19 no município desde Janeiro e ocupação total de leitos de enfermaria e UTI, os diretores decidiram adiar a abertura das escolas para o final do mês de Março.

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura disse que a decisão foi tomada na certeza da estrutura que as instituições prepararam para esse momento e que a Secretaria Municipal de Educação também trabalha para receber seus alunos em breve. “O governo do Estado prevê a volta às aulas nas redes de ensino público e particular. Na rede privada, as escolas já estavam autorizadas a retomarem suas atividades, ficando a critério de cada escola. Dessa forma, decidiu-se por tornar facultativa a volta às aulas nas escolas particulares de ensino, uma vez que não envolve transporte público e não há distribuição de merenda coletiva, o que faz com que essa individualidade garanta maior proteção aos alunos que estão frequentando as escolas de forma presencial. No que se refere às escolas públicas municipais, informo que o Executivo já vem se preparando e adequando as unidades escolares para a volta às aulas e, tão logo a situação de saúde estiver mais controlada, os alunos poderão voltar com toda a segurança”.

O texto ressalta que, caso as escolas optem pelo retorno, deverão seguir o sistema de rodízio de alunos e continuar de forma híbrida, com aulas virtuais e presenciais, simultaneamente, já que a capacidade é limitada a 35% de alunos por sala. Também é obrigatório o uso de máscaras por funcionários, professores e alunos, aferição de temperatura, oferta de álcool gel e distanciamento social.

A suspensão das aulas presencias nas redes municipal e estadual foi mantida até o dia 15 de Março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *