Em Taquaritinga (SP): Com retorno das aulas ainda indefinido, papelarias registram queda de até 60% na venda de materiais escolares

O início das aulas em todo o Estado de São Paulo, mesmo que de forma remota, não foi suficiente para levar os pais e responsáveis de estudantes às papelarias de Taquaritinga (SP). Desde Dezembro, quando se inicia a maior circulação de pessoas nos estabelecimentos, o movimento está bem abaixo do esperado para a época do ano e os empresários estimam queda de até 60% no faturamento.

Diversos fatores influenciaram na baixa procura dos clientes. O principal deles é o reaproveitamento dos artigos escolares do ano passado- pouco utilizados devido à suspensão das aulas presenciais logo no início do ano letivo, em decorrência da pandemia de Covid-19.

Os pedidos enviados aos fornecedores também sofreram alterações. Na maioria dos casos, os empresários fizeram apenas a compra de itens básicos das prateleiras, sem investimento em coleções de acessórios mais caros, como mochilas e lancheiras.

Diante das incertezas causadas pelo aumento do contágio e crescimento de internações pelo Coronavírus, o ano para os empresários é ainda preocupante e afeta outros setores da economia. Em períodos anteriores, as empresas chegaram a contratar até quatro funcionários temporários para dar conta da demanda de pedidos, mas em 2021, as contratações não foram realizadas.

O setor tenta manter-se otimista e com a expectativa de que as aulas presenciais retornem ainda este ano, para que a procura pelos materiais também possa aumentar.

Retorno das aulas:

O retorno das aulas presencias no município ainda é incerto em toda a rede de ensino, seja municipal, estadual ou particular. As Secretarias de Educação aguardam orientações e autorização da Secretaria de Saúde para que as escolas sejam reabertas aos alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *