CAT perde no Taquarão e diz adeus ao sonho do acesso

Jogando na tarde deste sábado no estádio Taquarão, pela sexta rodada da segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão Sub23, a equipe do Clube Atlético Taquaritinga foi batida pelo Flamengo de Guarulhos de virada, por 2×1, e disse adeus ao tão sonhado acesso nesta temporada de 2022.
Em razão da má campanha na segunda fase o tricolor da araraquarense precisava vencer o Flamengo, já classificado para as quartas de final, e torcer para que na cidade de Bebedouro, Internacional e Joseense empatassem.
O Leão começou bem o jogo e ainda no primeiro tempo abriu o placar com um gol de cabeça do centroavante Almeida. Na jogada do gol o atacante, nascido em Taquaritinga, foi atingido violentamente pelo zagueiro flamenguista e teve o osso da face fraturado. Saiu do estádio de ambulância diretamente para a UPA e na sequência para Santa Casa de Taquaritinga onde os médicos analisavam a possibilidade de intervenção cirúrgica.
Mesmo a frente do placar, as notícias que chegavam de Bebedouro não eram nada animadoras, pois a Inter havia aberto o placar. No segundo tempo, na medida em que o CAT sofria o empate a Inter fazia seu segundo gol, e quando o CAT tomou a virada a Inter marcou o terceiro. Estava selado mais um ano do Leão na última divisão do futebol paulista, o 10º ano consecutivo desde que foi rebaixado da A3 em 2011 (Em 2020 o Leão não disputou em razão da pandemia da Covid19).
O tricolor fez um início de campeonato impecável, empolgante e repleto de vitórias. Nesta temporada de 2022 o CAT fez 16 partidas e a diferença entre as 8 primeiras para as 8 seguintes foi ‘da água para o vinho’. Nas 8 primeiras rodadas o CAT conquistou 7 vitórias e apenas 1 derrota, enquanto nos 8 jogos seguintes o Leão venceu apenas 1 jogo, empatou 1 e perdeu 6. Nesse meio de caminho a diretoria agiu, substituiu o comando técnico e procurou entender os motivos da queda vertiginosa de desempenho, mas não foi o suficiente para que o elenco cateano reencontrasse o bom futebol do início do campeonato.
Agora, resta a comunidade cateana (diretoria, conselho, torcedores organizados e comuns, autoridades…), recolher os cacos, valorizar os acertos, aprender com os erros e por no radar 2023. Nesta nova fase da segundona, apenas 8 das 36 equipes que iniciaram a disputa seguem adiante, e muitas das outras 28 já estão pensando no ano que vem; com o CAT não pode ser diferente.
O CAT é um sentimento de ‘taquaritinguensianismo‘ que não morre, e mais uma prova disso é que, menos de 24 horas depois do apito que poria fim ao sonho do acesso, a poucos metros dali, no complexo esportivo Dori Parise, acontecia o 44ª campeonato de pipas e papagaios ‘Carmelo Paccelo’, onde dois taquaritinguenses (Denis Benites e Vavá Bassi) ajustavam os últimos detalhes para, mais uma vez, por o CAT nas alturas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.