Taquaritinga (SP) é escolhida para projeto de isolamento inteligente do Instituto Butantan

Iniciativa também será feita em Batatais. As duas cidades receberão testes rápidos de antígeno e do tipo RT-qPCR e uma plataforma de contact tracing, que auxiliará no mapeamento da transmissão local e estratégias de combate à pandemia

O Instituto Butantan, ligado ao Governo de São Paulo, iniciará neste sábado (29) um novo projeto de testagem para detecção do novo Coronavírus em moradores de duas cidades do interior de São Paulo: Taquaritinga e Batatais.

Chamado de “Isolamento Inteligente”, a iniciativa terá o objetivo de detectar indivíduos infectados com o vírus Sars-Cov-2 para medidas mais eficazes de contenção da transmissão.

O Butantan enviará testes do tipo RT-qPCR e testes rápidos aos municípios escolhidos para o piloto do projeto, para que sejam aplicados nas Unidades Básicas de Saúde locais. Os moradores receberão os resultados dos testes através de um aplicativo, que também trará dicas de prevenção, endereço de hospitais mais próximos e mapas de risco.

Os moradores diagnosticados com a Covid-19 pelo método RT-qPCR deverão ser orientados sobre como manter seu isolamento de forma correta e segura para todos. Todos que tiverem contato com pessoas infectadas e não estiverem com sintomas deverão realizar o teste rápido.

O acompanhamento do projeto será feito pelo app Tainá/Global Health Monitor no qual cada morador deverá se cadastrar. Por meio da ferramenta, será possível verificar se o usuário apresenta sintomas da doença, ser notificado de casos positivos próximos ao seu endereço e até mesmo monitorar a sua exposição ao vírus em relação aos casos positivos nas proximidades dos locais em que transita.

Para ajudar no combate à pandemia e os impactos locais, cada morador cadastrado deverá realizar uma autoavaliação diariamente e antes de sair de casa, respondendo questões rápidas sobre sintomas, contato com indivíduos infectados, hábitos de prevenção e transporte, vacinação, distanciamento, entre outros.

As informações dos participantes serão anonimizadas, mantidas em sigilo e comporão um banco de dados capaz de auxiliar políticas públicas e estratégias locais para o isolamento inteligente, evitando alta nos casos e a necessidade de medidas restritivas mais duras nas cidades.

Além dos testes, o Butantan também enviará aos municípios cartilhas informativas, um vídeo explicativo para a instalação do aplicativo, além de anúncios para rádios locais e carros de som.

Para iniciar o projeto o Instituto Butantan dividiu cada município em 11 regiões, denominadas clusters. Haverá o sorteio de 32 residências em cada localidade. As casas selecionadas receberão as visitas de agentes de saúde locais onde todos os moradores, sem limite de idade, poderão realizar o teste-rápido de antígeno.

Os agentes também irão orientar sobre a instalação do aplicativo Tainá/Global Health Monitor e sua utilização.

Um novo sorteio de residências será realizado a cada 15 dias nos próximos três meses. Os moradores que não tiveram suas moradias selecionadas, mas começaram a apresentar sintomas de infecção pelo novo coronavírus, deverão comparecer na UBS mais próxima para realizar o teste. 

“Com o isolamento inteligente será possível manter as pessoas infectadas em suas residências e monitorar os contactante em tempo real. Essa medida, aliada à vacinação, pode contribuir para que gradativamente os municípios possam manter suas atividades econômicas e, ao mesmo tempo, conter a transmissão do vírus”, afirma o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *