Rua Marechal Deodoro: Ensaios de blocos carnavalescos causam transtornos aos moradores do centro

Grande aglomeração de pessoas e, muitas delas, menores de 18 anos; o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e substâncias ilícitas, som automotivo em altíssimo volume que, quase sempre, reproduzem músicas com conteúdo sexual e nada de carnaval: este é o cenário que os moradores de Taquaritinga (SP) se deparam ao passar pelo centro da cidade, mais precisamente na Rua Marechal Deodoro, onde ocorre o encontro de mais de 3 mil pessoas, todas as sextas-feiras, durante os primeiros meses do ano.

 

O problema é antigo; segundo um morador da referida região, as famílias que residem no espaço citado enfrentam essa situação há mais de 3 anos, principalmente, nos meses que antecedem o carnaval. Além da desordem, alguns jovens presentes acabam danificando os imóveis situados no local e aos arredores, além de interditarem a rua e não permitirem o fluxo de veículos no quarteirão, utilizando também, muitos muros e entradas das casas como banheiros.

 

 

O agrupamento de pessoas começa por volta das 22h, quando uma república carnavalesca, com sua sede no meio do quarteirão, inicia o evento denominado “ensaios de carnaval”, marcados sempre nas vésperas de todos os sábados do primeiro trimestre do ano. Os integrantes do bloco carnavalesco, que compõe a bateria da república, tocam os instrumentos no interior do imóvel locado por eles; porém, os jovens que não participam da festiva acabam gerando transtornos na via pública; alguns estacionam seus respectivos veículos e iniciam uma “competição” de potência e volume musical. A equipe de jornalismo do Jornal Tribuna manteve contato com os principais envolvidos no caso e obteve os seguintes retornos:

 

República DNA: “Também estamos incomodados com a baderna!”. Essa são as palavras usadas pelos responsáveis da República DNA à respeito dos acontecimentos das últimas sextas-feiras. Segundo eles, o bloco carnavalesco afirma não ter nenhuma responsabilidade sobre os fatos. “A referida república promove um evento fechado, dentro das normas de segurança, portadora de alvará de funcionamento. e, contudo, infelizmente acaba sendo o ponto de referência aos que forem criticar os fatos”, afirmou um dos responsáveis.

Os integrantes da República DNA, junto a seus vizinhos, se uniram para tentar tomar providências sobre os tais “baderneiros”, solicitando ajuda de órgãos públicos e mídia local. Mas, segundo eles, ainda esperam uma resposta concreta e efetiva. “O incômodo dos demais vizinhos é nosso também, porque o som chega a ser tão alto que interfere na qualidade do nosso evento no interior da casa”, afirmam.

 

Conselho Tutelar: Procurada, a diretoria do Conselho Tutelar de Taquaritinga (SP), órgão municipal responsável por zelar pelo direitos da criança e do adolescente, afirmou que estará verificando a reclamação presencialmente, para depois, tomar as medidas judiciais cabíveis.

 

Polícia Militar: O atual comandante da Polícia Militar de Taquaritinga (SP), Emerson Vieira Coelho, disse que esteve em reunião nesta semana com os órgãos públicos da cidade. Na oportunidade, algumas situações foram expostas que, de acordo com o Capitão, não era de conhecimento do Conselho Tutelar. “Não é só um problema para a Polícia Militar resolver; depende de um esforço conjunto de todos os órgãos”, declarou.

Capitão Coelho relatou que realizou um contato com os moradores da referida região para expor algumas medidas, a fim solucionar tal situação. Segundo ele, uma placa de “Proibido Estacionar” será colocada na via pública, pelo período das 20h ás 6h, somente pela temporada que antecede o carnaval, com o intuito de coibir a propagação de som feita por alguns automóveis que costumam parar no local. Também será aplicada a multa de trânsito cabível para os motoristas que não respeitarem a nova regra.

O comandante disse recebeu o apoio do atual prefeito, Vanderlei Mársico. Ao serem informados, os moradores também ficaram entusiasmados com a proposta. Outra reunião com principais envolvidos deverá ser marcada para que todos possam entrar em acordo, sem ninguém sair prejudicado. “Queremos saber a real dimensão do problema”, disse Coelho.

O efetivo da PM deverá ser reforçado na próxima sexta-feira (25), quando está prevista para ocorrer uma operação com a atenção voltada para o evento carnavalesco.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *