Rodovia de Américo Brasiliense recebe o nome do taquaritinguense Flávio Nunes da Silva

A memória do saudoso promotor de Justiça Flávio Nunes da Silva acaba de ganhar mais uma homenagem fora de seu local de nascimento. Na quarta-feira, 23 de junho, o governador João Doria promulgou a Lei n.º 17.379, que dá o nome do taquaritinguense à rodovia de acesso SPA 004/257, que liga o município de Américo Brasiliense à Penitenciária Regional de Araraquara – Araraquara foi a cidade em que por mais tempo Dr. Flávio trabalhou. Por essa razão e pelo que ele representava entre os membros de sua categoria profissional, a sede do Ministério Público da cidade passou a ostentar o seu nome na fachada três meses após sua morte, ocorrida em 11 de junho de 2018.

A ideia da homenagem foi apresentada em 2019 por meio de um projeto de lei do deputado Itamar Borges, atual secretário de Estado da Agricultura. A rodovia de acesso escolhida fica no km 4 da SP 257 (Rodovia Deputado Aldo Lupo, compreendida entre o kms zero e 4,5). A Lei também é assinada pelos secretários João Machado Neto (Logística e Transportes) e Cauê Macris (Casa Civil).

Dr. Flávio nasceu em 6 de dezembro de 1942. Cursou o ginasial e o colegial no Instituto de Educação 9 de Julho. Formou-se pela Faculdade de Direito de Bauru. Estudou um ano no curso de especialização de Direito Penal, na USP, com o professor Basileu Garcia. Aluno, por dois anos, do curso Alfa, no Rio de Janeiro, preparatório para o Instituto Rio Branco, de diplomacia. Formado em música, curso de piano, pelo Conservatório Musical Santa Cecília, de Taquaritinga. Foi funcionário do Banco do Brasil enquanto era estudante. Trabalhava na Carteira de Comércio Exterior, no Rio de Janeiro e depois na cidade de São Paulo, onde pediu demissão, para assumir cargo no Ministério Público paulista.

Promotor de Justiça desde 1971, passando pelas Comarcas de Araraquara (substituto), Bariri (1ª entrância), Itápolis (2ª entrância) e Araraquara (3ª entrância). Trabalhou nas comarcas de Santa Fé do Sul (cidade onde o deputado Itamar Borges foi prefeito), General Salgado, Monte Aprazível, São José do Rio Preto e na Capital do Estado, no Tribunal do Júri. Exerceu até 2012, quando se aposentou compulsoriamente aos 70 anos, o cargo de 6º Promotor de Justiça de Araraquara.

Foi professor, durante 19 anos, do Centro Universitário de Arararaqua (Uniara), onde lecionou Direito Comercial, de 1978 a 1997. Em fevereiro de 1999, assumiu o cargo de coordenador do Curso de Direito da Universidade Paulista (Unip), campus de Araraquara, que ajudou a implantar.

Era o primeiro filho da professora Emília Menon Nunes da Silva e do advogado Dr. Adail Nunes da Silva, eleito quatro vezes prefeito de Taquaritinga. Casado com Diva Marin Nunes da Silva, deixou os filhos Alexandre, advogado e ex-vereador; Marco Aurélio, advogado; e Lívia, jornalista. Além dos irmãos Tato, prefeito por duas vezes; Augusto, jornalista; Patrícia, psicóloga; e Marília, servidora pública.

(Informações: Assessoria de Imprensa da Câmara de Taquaritinga) 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *