#MaioLaranja: CREAS de Taquaritinga (SP) reforça o combate do abuso e da exploração sexual infantil na campanha “Faça Bonito”

Durante todo o mês de Maio, os profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social de Taquaritinga (SP), através do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), se engajam em ações para promoverem a campanha ‘Faça Bonito’, a fim de conscientizar a população sobre assuntos relacionados ao abuso e exploração sexual infantil.

Shadow
Slider

Anualmente, a Prefeitura Municipal de Taquaritinga realiza diversas atividades gratuitas no dia 18 de Maio, data considerada o “Dia Nacional de Combate Ao Abuso E À Exploração contra Crianças e Adolescentes”; em 2019, houve atrações gratuitas para toda a família na Praça Dr. Waldemar D’Ambrósio, como a distribuição de pipoca, algodão doce e corte de cabelo, além de orientações e diálogo sobre o tema da campanha.

Neste ano, a programação precisou ser alterada e inovada por conta da pandemia de Covid-19, ficando restrita em ações nas redes sociais da Prefeitura Municipal, através de vídeos, fotos e mensagens que apoiam a campanha. O CREAS também realizará teleatendimentos aos seus usuários.

A iniciativa tem o objetivo de criar uma consciência coletiva em toda a sociedade para diminuir os índices de violência, encorajar às vítimas a fazerem denúncias e auxiliar os pais e responsáveis a identificarem os casos de agressão.

“Falar sobre abuso sexual com as crianças não é falar sobre sexualidade precocemente, e sim, é uma forma de protegê-las”; é o que pensa a psicóloga do CREAS, Mariana Galli. Em um vídeo divulgado, a profissional aborda o assunto e orienta, de forma simples, como os pais/responsáveis devem agir diante de uma situação como esta.

Segundo ela, uma forma de conversar sobre o assunto com a criança é ensiná-la a diferenciar as demonstrações de afeto que ela recebe. “Explicar para a criança que existem várias formas de carinho é um jeito simples de conversar sobre o assunto com ela. Diga que há toques que ela se sente confortável em receber, como um abraço, um cafuné no cabelo ou um abraço e que ela saberá disso quando se sentir feliz, acolhida e amada; isso é o que chamamos de ‘toque do sim” ou “toque do bem”. Agora, se for algo que o nosso coração nos dá um alerta, fazendo-nos sentir medo, vergonha ou sentimentos que nos deixam desconfortáveis, como passar a mão na perna ou beijo na boca, é o que chamamos do “toque do não”. Além da criança aprender a diferenciar as demonstrações de carinho, ela também deve ser orientada a alertar os pais/responsável quando algo acontecer, para que eles tomem as devidas providências”, explica.

Mariana também enfatiza a importância de realizar a denúncia mesmo que o relator esteja apenas desconfiando de alguma situação. “Todas as ocasiões devem ser denunciadas, mesmo em caso de dúvidas, para que sejam investigadas. Quem denuncia não tem o papel de investigar; a averiguação dos fatos cabe aos profissionais qualificados”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *