Irmãs reagem a assalto e impedem roubo de veículo no centro de Taquaritinga (SP)

Vítimas entraram em luta corporal com os assaltantes e frustraram ação; policial à paisana estava próximo e auxiliou na comunicação do crime para a PM

Duas irmãs (de 27 e 36 anos) reagiram a um assalto e impediram o roubo do veículo da família na tarde desta quinta-feira (28), no centro de Taquaritinga (SP). Os autores do crime (de 16 e 18 anos) não estavam armados e foram detidos pela Polícia Militar, ficando à disposição da Justiça.

Shadow
Slider

O delito aconteceu por volta das 15h30 no cruzamento da Rua Major Calderazzo com a Rua Dr. Satiro de Mello, em frente a um prédio corporativo. Em entrevista ao Jornal Tribuna, uma das vítimas relatou que tudo aconteceu de forma rápida e ela, ao lado da irmã, reagiu ao assalto quando ambas ouviram a mãe gritar. “Minha mãe (de 53 anos) estava entrando no carro quando foi rendida pela dupla criminosa; um dos bandidos estava com a mão debaixo da camiseta e falava “perdeu! perdeu!”, fazendo a menção de estar armado. Eu minha irmã estávamos conversando na porta do prédio e ouvimos ela gritar; corremos e nos aproximamos do carro para tirar o indivíduo que estava entrando do lado do motorista, já pronto para conduzir o automóvel. Minha mãe também puxou o volante e acabou atrapalhando ele”, disse.

As irmãs entraram em luta corporal com os assaltantes, mas eles conseguiram se esquivar e embarcar no veículo. Metros depois, o condutor invadiu a calçada e colidiu com uma árvore, abandonando o carro na via pública e correndo para iniciar a fuga. Um policial à paisana presenciou o crime e comunicou os seus colegas de trabalho do ocorrido.

Os meliantes fugiram para direções opostas mas foram capturados durante um cerco feito rapidamente pela PM.

A dupla foi conduzida à Delegacia de Polícia para ser ouvida pelo delegado plantonista. Os jovens ficaram a disposição da Justiça e devem aguardar a decisão a audiência de custódia.

Mesmo com a batida, o carro não sofreu danos. As vítimas tiveram lesões leves e passarão por atendimento médico.

“Não reagir é conservar a vida”

Reagir durante um assalto é uma prática jamais recomendada pelas autoridades de Segurança Pública. O Tenente da 2° Companhia da Polícia Militar de Taquaritinga, PM Batista, reforça a orientação de que a vida do cidadão é o bem maior que ele pode ter. “A ação do bandido quando a vítima reage é sempre a pior possível e, muitas vezes, pode ser fatal. É preferível que se perca o bem material mas que a vida seja conservada”.

As vítimas se diziam convictas de um comportamento oposto por parte delas caso um dia viessem a passar por esse tipo de situação; porém, não imaginavam que o sentimento de revolta iria dominá-las e a reação seria totalmente diferente. “Estamos muito assustadas com tudo o que aconteceu e agora penso que poderia ter ocorrido algo muito pior diante da nossa reação. Sabemos que nossa atitude foi muito perigosa, mas é realmente muito difícil ver dois bandidos roubando um patrimônio seu conquistado com muito sacrifício. Usamos o carro para trabalhar e conseguimos comprar ele com muito esforço, não admitiríamos “entrega-lo” para eles tão facilmente. Graças a Deus não nos ferimos”, enfatiza uma delas.

A família enaltece o trabalho da Polícia Militar e espera que a Justiça tome as devidas providências para punir os autores do delito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *