Infectologista da Santa Casa de Taquaritinga (SP) esclarece as principais dúvidas sobre a vacinação contra a Influenza

A vacinação contra a gripe, que começará na próxima segunda-feira (12), deverá imunizar 1.890 pessoas em Taquaritinga (SP) na primeira fase. As doses foram entregues na Secretaria Municipal de Saúde neste final de semana.

Em entrevista ao Jornal Tribuna, o infectologista da Santa Casa de Taquaritinga (SP), Dr. Daniel Elias de Oliveira, explicou a importância da imunização contra esse vírus – também causador de infecções respiratórias – neste período tão crítico da pandemia de Covid-19. “A Influenza também evolui para a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e há pacientes que necessitam de ventilação mecânica e cuidados intensivos. A imunização em massa evitará que haja uma sobreposição de outra doença grave no sistema de Saúde, que está esgotando e já sofre com a falta de insumos”, explica.

O imunizante pode auxiliar no diagnóstico do quadro do paciente no momento da triagem no ambulatório médico; entretanto, vale lembrar que, mesmo vacinada, a pessoa não deve descartar a infecção pelo vírus, principalmente aquelas que fazem parte do grupo de risco de enfermidades, como diabetes, hipertensão, doenças crônicas, etc.

Por estarmos enfrentando uma pandemia e o número de casos de Covid-19 ser maior do que os de Influenza, o paciente deve priorizar a vacina contra o novo Coronavírus caso sua idade ou profissão já estejam autorizadas a receber a dose no Plano SP de Vacinação.

Os idosos que tomarem a vacina contra a Covid-19 na rede pública e que desejam receber o imunizante da Influenza em clínicas particulares devem aguardar um intervalo entre as doses. No caso da Coronavac, a pessoa deve esperar a aplicação do esquema vacinal completo (primeira e segunda dose) e procurar pela imunização contra a gripe após 14 dias. Caso o imunizante seja da Oxford/AstraZeneca, deve-se aguardar quatorze dias após a primeira dose ( já que o intervalo entre as duas aplicações são de 90 dias) ou o mesmo tempo após a conclusão do esquema vacinal.

Para os grupos que irão receber a vacina da Covid-19 mais a frente, a recomendação é que essas pessoas sejam imunizadas contra a gripe até o mês de Maio. 

Há dois tipos de vacinas contra a Influenza disponíveis no Brasil atualmente; a trivalente e a tetravalente. A primeira é oferecida na rede pública e ela confere imunidade aos vírus da Influenza H1N1, H3N2 e do tipo B. A tetravalente é encontrada em clínicas particulares e, além de proteger contra os vírus já mencionados, também atribui imunidade a mais um tipo de Influenza B. “As duas são bem eficazes e efetivas, principalmente na redução de casos graves. Quando começa a vacinação, já sentimos a diminuição de pacientes infectados em consultórios e hospitais”, explica.

O infectologista faz o alerta para que o atendimento médico seja procurado assim que sintomas gripais surgirem, pois há grandes semelhanças entre os vírus de Influenza e Covid-19, maiores causadores de SRGA no momento. “No período inicial, os sintomas entre as duas infecções são parecidos, como a tosse, coriza, febre, mialgia, cefaleia, etc; porém, a evolução por Influenza é mais rápida e leva a pessoa mais precocemente à internação nos casos graves. O paciente com a Covid-19 tende apresentar sintomas mais brandos na primeira semana, podendo evoluir para um quadro mais grave no final da infecção. O aspecto radiológico também é diferente; em pacientes com Covid-19, o exame apresenta fatores muito mais característicos”, finaliza.

O médico ainda esclarece que a vacina contra a Influenza é eficaz somente para o vírus e não tem o potencial para atenuar sintomas da Covid-19 ou evitar formas graves dela.

Campanha de Vacinação:

A vacinação contra a Influenza em Taquaritinga (SP) acontecerá em quatro Unidades Básicas de Saúde. Elas estão instaladas na UBS Akió Nakashima (Jardim São Sebastião), UBS Ederaldo Marques (Jardim Paraíso), UBS Nelson Sargi (Vale do Sol) e UBS Antônio Abudd (Jardim Buscardi). O horário de atendimento será das 7h ás 15h, de segunda a sexta-feira.

De acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI), a primeira etapa da vacinação ocorrerá entre 12 de Abril a 10 de Maio e será destinada para crianças de 6 meses até as que não tenham completado 6 anos de idade, gestantes, puérperas e profissionais da Saúde.

A segunda fase está prevista entre os dias 11 de Maio a 8 de Junho e contemplará idosos com 60 anos ou mais e professores. A última etapa acontecerá de 9 de Junho a 9 de Julho e será destinada para pessoas com comorbidades (diabetes, hipertensão, etc) e doenças crônicas, portadores de deficiências, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas.

Para receber a dose, basta apresentar o cartão de vacinação em qualquer um dos pontos de vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *