Em Taquaritinga (SP): Asilo São Vicente de Paulo pede ajuda após doações caírem 35% durante pandemia de Covid-19

O asilo São Vicente de Paulo, de Taquaritinga, faz um apelo para a população da cidade após ter queda de doações em 35% durante o enfrentamento da pandemia de Covid-19. Atualmente, o local abriga cerca de 40 idosos.

Shadow
Slider

O responsável financeiro, Silvonei Júnior, explica que o momento de dificuldade afetou diretamente a instituição. “Apesar da contribuição de parte da aposentadoria de cada idoso acolhido, nosso maior proveito vem das doações dos moradores e de emendas impositivas da Prefeitura. Houve um corte no repasse do poder público e inevitável redução nas contribuições, devido a pandemia, ocasionando uma fase difícil para todos nós”.

As lives feitas por artistas da cidade ajudou a abastecer o estoque de comida da entidade para, ao menos, os próximos 60 dias. Agora, o local necessita de leite, fraldas geriátricas, luvas plásticas para a equipe de profissionais e lençol de elástico para cama de solteiro.

As doações podem ser entregues na secretaria do asilo, localizado na Rua São José, número 1149, no centro da cidade. É preciso avisar os colaboradores da Central, antecipadamente, para o agendamento e entrega dos produtos.

Cuidados com a saúde mental também foram reforçados:

Além da dificuldade com itens de proteção individual e produtos alimentícios, o asilo também tem voltado à atenção para a saúde mental dos idosos que do local. O isolamento social, acompanhado de proibição de visitas, missas e eventos musicais realizados para o lazer dos acolhidos, impactou, diretamente, a vida deles. A medida foi recomendada pelas autoridades de Saúde, já que as pessoas com mais de 60 anos fazem parte do grupo de maior risco em desenvolver a doença de forma grave.

“A falta da rotina que eles tinham antes da pandemia de Covid-19 fez muitos se entristecerem. Os profissionais responsáveis pelo acompanhamento psicológico dos idosos estão atentos a possíveis comportamentos ligados às consequências do isolamento, como ansiedade e depressão, ou até mesmo o aparecimento desses quadros em idosos que haviam os desenvolvido até o momento. Para isso, pedimos a nossa equipe o esforço redobrado para amenizarmos o sofrimento deles enquanto as atividades não se normalizam”, finaliza.

Até o momento, houve apenas uma suspeita de Covid-19 em um idoso na entidade, que já foi descartada pela Secretaria de Saúde mediante resultado de exame.

(Foto: Jornal Tribuna)

Deixe uma resposta