#Eleições2020: Candidatura de mulheres à Câmara de Taquaritinga (SP) fica pouco acima do mínimo legal

As coligações anunciaram há pouco dias a lista de seus candidatos e candidatas a vereador(a) em Taquaritinga. Das 168 pessoas que disputam vaga na Câmara, 57 são mulheres, o que projeta 33,92%, índice um pouco superior ao exigido pela Lei Eleitoral para preenchimento das vagas por um dos sexos, que é de 30%.

Apenas dois partidos lançaram a totalidade de postulantes – 23 candidatos, número que representa 150% da quantidade de cadeiras no Legislativo. O PSDB e o DEM preencheram as 23 vagas e a proporção correspondente de mulheres: 7 candidatas cada um. Logo em seguida vem o MDB, com 22 concorrentes ao cargo de vereador, mas também com 7 mulheres.

Apenas no partido Republicanos a quantidade delas supera a de homens: 3 a 2. No PV, que lançou seis candidatos, metade é de mulheres. Mesmo caso do PT, que participa com 12 candidaturas legislativas no total.

De acordo com o último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Taquaritinga possui 27.326 moradoras do sexo feminino e 26.662 homens. Na atual composição da Câmara, não há nenhuma mulher.

Embora a Câmara tenha sido instituída em 1892, a primeira vereadora só foi eleita noventa anos depois. No pleito de 1982, a saudosa professora Marilda Arleti Bertaco Peria (1952-1988) venceu com 283 votos.

As quatro composições seguintes da Câmara contaram com mulheres. Uma interrupção ocorreu na eleição de 2004, quando apenas homens foram eleitos. Em cada um dos dois pleitos seguintes, uma mulher garantiu vaga, o que não se repetiu nas últimas eleições proporcionais.

Dos 168 candidatos lançados por 11 partidos, apenas 8,9% serão eleitos para ocuparem as 15 cadeiras do Poder Legislativo taquaritinguense.

(Imagem destacada: Ilustrativa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *