Em Taquaritinga (SP), mãe é presa por tráfico de drogas horas depois de seu filho ser encaminhado para Fundação Casa pelo mesmo crime

Uma mulher de 35 anos, moradora do Jardim São Sebastião, foi detida na noite de terça-feira (5), depois que dois agentes da Força Tática receberam uma denúncia de que a indiciada estaria carregando uma bolsa com entorpecentes na Avenida Washington Luís, no referido bairro.

 

Segundo as informações do boletim de ocorrência, os integrantes da PM estavam em patrulhamento pelo bairro Rosa Bedran quando foram abordados por uma pessoa, que não quis se identificar, e que relatou que duas mulheres estavam transitando pelo bairro com um acessório contendo substâncias ilícitas e objetos referentes ao tráfico de drogas.

 

A equipe iniciou as buscas pela localização das suspeitas e conseguiram encontrá-las no local indicado pelo relator. A mulher denunciada estava acompanhada de uma adolescente, de 16 anos, que carregava uma bolsa e, ao ver a aproximação da viatura, começou a chorar. Imediatamente, ela informou aos policiais que a mochila pertencia à indiciada.

 

No interior da mochila foram encontradas algumas peças de roupas, uma balança de precisão, um frasco de “acetona”, um frasco de “éter”, um saco plástico contendo cerca de 460 cápsulas plásticas vazias, a quantia de R$ 627 em dinheiro e dois pacotes contendo substância semelhante à cocaína.

 

Ambas foram levadas para a Delegacia de Polícia de Taquaritinga (SP). A suspeita é mãe de um adolescente, de 16 anos, que na tarde de ontem foi encaminhado para a Fundação Casa de Ribeirão Preto (SP), pelo crime de tráfico de drogas, e a menina é namorada do jovem. Ao ser questionada, a mulher disse que não sabia que a bolsa que sua nora carregava era do seu filho e nem o que continha dentro dela, e que somente tomou conhecimento de todo o fato no momento da abordagem e revista policial.

 

Os pacotes com as substâncias duvidosas foram encaminhadas para o Instituto de Criminalística de Jaboticabal (SP) para um exame de constatação provisória, ficando confirmado que apenas uma das embalagens, pesando cerca de 300 gramas, era de cocaína. A segunda porção não se tratava de substância química.

 

O delegado plantonista elaborou a ocorrência e a suspeita foi autuada em flagrante. Ela está a disposição da Justiça e será apresentada em audiência de custódia na tarde desta quarta-feira (6). A adolescente foi liberada na companhia de seu responsável legal, com o compromisso de comparecer na Promotoria da Infância e Juventude do município em breve.

 

Material que estava no interior da mochila que adolescente carregava

 

 

 

Slider

Deixe uma resposta