Logística Reversa: Alunos da ETEC de Taquaritinga criam projeto para dar destino a vidros de esmalte após o uso

As alunas da ETEC “Dr. Adail Nunes da Silva”, Gabriela de Barros Corrêa e Emanoeli Vitória Martins Pio, acompanhadas da professora Maria Leonor Beneli Donadon, apresentaram no Programa “Microfone Aberto”, da Rádio Massa, comandado pelo jornalista Auro Ferreira, um projeto de Logística Reversa, para dar destino correto a embalagens de esmalte após o uso. O projeto servirá como TCC – Trabalho de Conclusão de Curso das alunas Gabriela de Barros Corrêa, Bruna Santana, Amanda Rodrigues Farinelli e Emanoeli Vitória Martins Pio, do Curso Técnico em Química integrado ao Ensino Médio, sob a supervisão das orientadoras, Laís Coletto, Andreza Zambelli e Maria Leonor Beneli Donadon. A ideia surgiu através da coordenadora Andreza Zambeli, durante o período de aulas remotas e foi colocado em prática agora, nas aulas presenciais. Logística reversa de embalagens nada mais é que um conjunto de ações que promovem a destinação dos resíduos sólidos para reaproveitamento em novos ciclos produtivos, como a reciclagem, ou para oferecer outra destinação final ambientalmente adequada. A proposta dos alunos é a de criar uma cultura de descarte adequado aos vidros de esmaltes, que sirva de modelo e possa ser incorporado ao interior do estado de São Paulo, da mesma forma como já é feito na capital. Segundo a coordenadora Maria Leonor, “poder falar sobre cosméticos já é sensacional, mas propor uma alternativa aos resíduos envolve ainda mais beleza”. O projeto tem o foco nas embalagens de esmaltes, iniciando pela coleta feita na própria ETEC com posterior processamento no próprio laboratório da escola. Após o final do processo, as embalagens, já limpas, seriam enviadas a uma empresa de cosméticos que recebe estes produtos para serem reutilizados para embalar novos esmaltes. A empresa Maria Helena Misturinhas, nascida na cidade de Ijuí, no Rio Grande do Sul, por exemplo, tem uma proposta de logística reversa em que os consumidores podem trocar as embalagens vazias por novos esmaltes. A intenção é dar a destinação correta ao conteúdo que fica no final do vidro. Para trocar as embalagens por novos esmaltes, o cliente deve juntar cinco embalagens e ir até algum ponto de venda e trocar por um produto novo. De acordo com Maria Leonor,  os vidros e tampas passam por um processo de limpeza de resíduos e são reaproveitados. Recentemente já foi destacado pelo Jornal Tribuna, um projeto da ETEC “Dr. Adail Nunes da Silva”, que dá destino a máscaras descartáveis usadas. A escola tem se dedicado a criar projetos que possam dar a destinação correta aos resíduos que poderiam ser descartados no lixo comum, causando danos ao meio ambiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *