Hemocentro de Ribeirão Preto promove campanha de doadores de medula óssea

O Hemocentro de Ribeirão Preto realizará campanha para cadastramento de possíveis doadores de medula óssea em Taquaritinga, no próximo mês de maio. O cadastro dos interessados em serem doadores de medula óssea, poderá ser feito no dia 7 de maio, nas dependências do Colégio Pequeno Príncipe, das 8h à 12h. A rede Hemocentro RP cadastra, em média, 1.500 voluntários para doação de medula óssea por mês. Esses registros são enviados ao REDOME que centraliza todos os cadastros no Brasil. Todas as vezes que alguém precisa de transplante, esse banco de dados é pesquisado na busca de alguém compatível. Dos quase 31 milhões de doadores de medula óssea cadastrados no mundo, 4,7 milhões estão registrados no REDOME (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula óssea), transformando o Brasil no terceiro maior cadastro do mundo em candidatos a doadores de medula óssea. O transplante de medula óssea é utilizado no tratamento de algumas doenças do sangue, como as leucemias e os linfomas. Nesses casos, há a substituição de uma medula óssea doente por células normais de outra medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.


COMO FUNCIONA:

– Os doadores devem ser pessoas saudáveis com idade menor ou igual a 35 anos;

– Os doadores devem preencher um formulário com dados pessoais;

– É coletada amostra de sangue de 5 ml para o teste de tipagem que verifica a compatibilidade do doador com o eventual receptor;

– Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado chamado REDOME que é gerenciado pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer). O sistema compara os dados dos pacientes que necessitam de um transplante com as informações dos doadores cadastrados;

– A probabilidade de encontrar um doador compatível, em geral, é de 1 para cem mil a um milhão de pessoas;

– Caso seja identificado um candidato compatível com o paciente, este será chamado para novos exames e para programar a doação;

– Há duas maneiras de coletar células para transplante:

1- Coleta de células da própria medula óssea por punções aspirativas de osso da bacia, com o doador submetido à anestesia geral.
2- Coleta de células do sangue usando uma máquina especial, com o método de aférese. Neste caso, não há a necessidade de anestesia ou internação hospitalar, somente o uso de medicamento injetável que estimula as células migrarem da medula óssea para o sangue.

Fonte: site Hemocentro Ribeirão Preto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.