Grupo de voluntários promove campanha em prol da APA de Taquaritinga (SP)

Um grupo de voluntários de Taquaritinga (SP) está promovendo a campanha “Tampinha Solidária”. A ação consiste em recolher tampas plásticas para que possam ser vendidas, e todo o dinheiro arrecadado será revertido na compra de rações para os cães e gatos da Associação Protetora dos Animais (APA).

 

O recolhimento não se restringe somente em tampinhas de garrafa ‘pet’; tampas de qualquer frasco plástico, como produtos de higiene, produtos de limpeza e produtos alimentícios, podem ser doados para a campanha. Diversos estabelecimentos estão autorizados a receber as doações, como a Casa das Rações, Loja Fashion, Supermercado Ipiranga, CB Rações, Jornal O Defensor, Jornal Tribuna, Bar do Ziquito, Academia Simoni Fitness, Academia Olimpus e Supermercado Feola.

 

A ação solidária conta com mais de 10 pessoas voluntárias e deverá ser permanente na cidade, ajudando os animais abandonados que necessitam dos cuidados dos munícipes.

 

Segundo a idealista do projeto, Angélica Gomes, a decisão de recolher somente a tampa plástica dos recipientes foi pensada afim de não interferir no trabalho dos coletores de produtos recicláveis, como forma de não diminuir o material colhido por eles. Sendo assim, o doador pode retirar a tampa e ajudar a APA, e ainda, guardar a garrafa para ajudar o trabalhador.

 

A primeira venda feita desse material foi realizada em Setembro de 2018 e a quantia arrecadada somou mais de 20 quilos de plástico. Desde então, já foram realizadas mais de seis vendas, e o total das arrecadações estão aumentando gradativamente; porém, o grupo ainda necessita de mais engajamento da sociedade, pois o quilo de plástico corresponde a importância de R$ 1.

 

O projeto reúne temas como sustentabilidade, responsabilidade social e solidariedade. O recolhimento das tampinhas é feito semanalmente ou conforme a demanda das doações, e é importante que as pessoas que doarem o objeto cortem o fundo dos recipientes, para que dessa maneira, não surja o risco de acúmulo de água no interior do objeto, caso ele fique exposto na lixeira enquanto não for recolhido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *