Grande aposta do basquete, taquaritinguense é selecionado para participar da 2ª edição do ‘Nike Elite NBB Camp – Sub-17’ no Brasil

O atleta taquaritinguense Paulo Henrique Barbosa Júnior, conhecido como “Zu”, foi selecionado para participar da segunda edição do “Nike Elite NBB Camp – Sub 17” que será realizado na segunda quinzena de Fevereiro no Parque São Jorge –sede do Sport Club Corinthians Paulista, em São Paulo.

Apontado como um dos atletas de basquete mais promissores da modalidade, Zu tem 16 anos e, atualmente, defende time de base do SESI de Franca (SP) em duas categorias (Sub 17 e 19). Ele está entre os 25 jovens escolhidos para participar do evento, que se configura como um ‘intensivo’ de basquete para atletas que se destacam em suas equipes. A seletiva foi feita por um grupo de profissionais da Nike, liderado por Ricardo Boajnich (técnico de basquete e professor de educação físicana Argentina) e seus auxiliares. Inicialmente, 35 jovens foram convocados, mas dez acabaram sendo dispensados após passarem por uma espécie de ‘triagem’.

O evento é uma parceria entre a Liga Nacional de Basquete (LNB) e a marca esportiva e será realizado pela segunda vez no Brasil, com o intuito de revelar novos talentos e aperfeiçoar suas técnicas. Os meninos irão se reunir entre os dias 17 a 21 para trocarem experiências e melhorarem seus níveis técnicos e táticos em sessões de treinamentos.

Em sua primeira edição, o camp contou com atletas que hoje já são realidade no basquete brasileiro, como os armadores Yago (Paulistano/Corpore), Alexey (Mogi das Cruzes) e Georginho (São Paulo) e os alas Lucas Dias (Sesi Franca) e Gabriel Jaú (Sendi/Bauru Basket).

História

A família de Zu Júnior sempre incentivou o menino a praticar esportes. De acordo com a sua mãe, Sandra Mársico, o menino teve contato com bolas das mais diversas modalidades durante os primeiros anos da infância, como vôlei, tênis, futebol e rugby, mas sempre optou por brincar com a ‘bola laranja.’

Aos 8 anos de idades, ele foi convidado para participar de uma ‘escolinha’ de basquete implantada no  Colégio Anjo da Guarda – São Rafael pelo professor de Educação Física, Antonio Eduardo Nunes Júnior ( o “Coelho”). Não demorou muito para que os professores notassem o talento do menino; em uma disputa entre Taquaritinga x Matão, o aluno foi autor de 16 pontos em uma partida que terminou 18×2. “Diversos pais do time adversário vieram falar conosco, dizendo que deveríamos levá-lo para Franca (a capital do basquete). De principio, devido à correria do dia a dia, não demos atenção ás sugestões, mas o tempo passou e um dia recebemos um telefonema de um amigo taquaritinguense (Dr. José Guilherme Calil Maia) que morava naquela cidade e sugeriu que levássemos nosso filho para ser apresentado ao Professor Jamil (no SESI)”, disse Sandra Mársico em entrevista ao Jornal Tribuna.

Depois de fazer um teste nas quadras francanas, a família do menino recebeu o feedback. “O avaliador nos disse: ‘Seu filho não é bom; ele é excepcional!’. Ficamos muito felizes e, a partir disso, começamos a levá-lo para Franca para participar dos treinos. Nós (eu e ele) viajamos semanalmente durante nove anos; íamos na noite de quinta-feira e só retornávamos para Taquaritinga no domingo. Na maioria das vezes, o Zu ia estudando conteúdo de prova do colégio dentro do carro, somente usando a luz do celular”, enfatiza.

Em 2017, a família precisou tomar uma séria decisão para que o garoto continuasse no esporte. “Ele assinou um contrato com o SESI e uma das exigências é que ele fosse morar em Franca, pois os treinos passariam a ser diários; decidimos que eu e ele moraríamos lá enquanto meu esposo ficaria na cidade com nossas duas filhas”.

Diante da evolução do garoto nas quadras, novas oportunidades também surgiram no caminho: em Novembro do ano passado, o esforço e trabalho do atleta foram reconhecidos e ele assinou um contrato de agenciamento com a empresa Flashforward, S.L, ( Barcelona / Espanha).

Três gerações de ‘Zu’

O fascino pelo basquete também está no DNA de Zu; ele é o terceiro jogador da geração de Zu’s da família, sucessor de seu pai e seu avô. O pai do menino chegou a defender equipes profissionais em sua juventude, mas pausou a carreira para trabalhar com o avô do garoto.

A mãe se orgulha ao definir a paixão que o prodígio tem pelo esporte. “Costumo dizer que ele é um ‘viciado pelo pela bola laranja’. O Zu vive e respira basquete 24 horas por dia, e seu sucesso não se dá somente ao seu talento; foi um conjunto de situações. Tenho que destacar o grande trabalho da equipe que o acompanhou e a excelência dos treinos recebido no SESI com embasamento em técnicas da NBA (maior liga de basquete do mundo)”, finaliza.

O atleta tem o privilégio de ser aplaudido pelos seus familiares em todos os jogos que participa. Ele já provou que tem talento e capacidade para as pessoas que fazem parte do meio esportivo e, agora, todos torcem pela sua ascensão na modalidade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *