Em Taquaritinga (SP): Sensibilizada com apelo na internet, mulher doa parte de seu fígado para criança do Amazonas com doença rara

Aos 36 anos, a vendedora Ângela de Paula Barbosa tomou uma grande decisão de vida em benefício ao próximo. Moradora de Taquaritinga há 30 anos, ela doou parte de seu fígado para uma criança de 3 anos, do Amazonas, que foi diagnosticada nos primeiros meses de vida com atresia das vias biliares – doença que causa falência hepática e pode levar ao óbito.

O caminho dela e do pequeno Jadson Gonzales se cruzaram através das redes sociais, quando uma família taquaritinguense, que possui uma criança com a mesma enfermidade, divulgou a história do pequeno com o objetivo de achar um doador para ele. A postagem foi feita em um grupo no qual Paula fazia parte. No momento em que leu o relato, ela se sensibilizou com o caso e decidiu que iria ajudar.”O apelo dizia que estavam procurando um doador do tipo sanguíneo 0+. Quando eu li, eu tinha certeza que poderia ser eu, que iria dar certo. Foi algo inexplicável; era Deus falando comigo”, disse em entrevista ao Jornal Tribuna.

Sem nunca ter realizado um procedimento cirúrgico, a vendedora entrou em contato com a família do menino em Agosto e ambos iniciaram os exames para atestar a compatibilidade, que foi positiva. A caminhada também exigiu novos hábitos de vida que a doadora cumpriu rigorosamente para não prejudicar todo o processo e a própria cirurgia.

Durante a preparação, a família do garoto já residia em São Paulo. Ele e a mãe se mudaram para a capital paulista, onde eram abrigados em uma Casa de Apoio para que o menino realizasse seu tratamento enquanto aguardava na fila de espera do transplante. 

O transplante foi marcado três meses depois e foi realizado com sucesso em Novembro, no Hospital Sírio-Libanês, custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O organismo de Jadson reagiu bem e não rejeitou o novo órgão. Os boletins médicos deixaram a taquaritinguense mais feliz do que nunca, certa de que tomou a melhor iniciativa. “Em nenhum momento tive dúvidas ou arrependimento do que eu estava fazendo. Eu só conseguia ver o resultado, confiante que tudo daria certo e o Jadson iria ter uma chance de vida. O apoio da minha família e alguns amigos mais íntimos foi fundamental, bem como fazer as coisas em silêncio, para que ninguém interferisse de forma negativa”, relata.   

Paula com Francicléia e o pequeno Jadson; os caminhos, que se cruzaram através da internet, hoje são inseparáveis por uma linda história de doação e amor ao próximo

Paula teve algumas complicações durante sua recuperação, que exigiu mais tempo de internação do que o previsto inicialmente, mas ela já recebeu alta e segue sua rotina no município, mantendo o contato frequente com ‘Cléia’, a mãe do menino. 

A criança segue internada em outra unidade médica para acompanhamento com boas notícias na evolução de seu quadro, devendo receber alta em breve para retornar à sua casa, em Novo Aripuanã (AM). Sobre a atitude da doadora, a mãe do garoto só tem gratidão. Em entrevista ao Jornal da EPTV de Ribeirão Preto, ela disse que a taquaritinguense foi uma segunda mãe para meu filho e ainda não encontrou palavras para agradecer o gesto de amor feito pelo menino. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.