Em Taquaritinga (SP): Dr. Gibertoni anuncia aposentadoria

     Após 41 anos de exercício da Medicina em Taquaritinga (SP), o cardiologista Dr. Hermínio Gibertoni encerrará seus atendimentos na cidade. A difícil decisão foi anunciada há quase três meses, em princípio, apenas para os pacientes que fazem acompanhamento com ele.

     Formado pela Faculdade de Medicina de Catanduva em 1980, Dr. Gibertoni é natural de Santa Adélia/SP e chegou no município logo após concluir a Residência em Cardiologia no Instituto do Coração (INCOR), por influência de familiares que residiam na cidade. Durante a carreira atendeu em três endereços, sendo o último no Centro Médico  localizado na Avenida Paulo Roberto Scandar.

     O médico sempre conciliou a agenda de seu consultório com as Unidades Básicas de Saúde e a rotina da Santa Casa, onde chegou a ocupar a chefia da Cardiologia, sendo um dos médicos mais velhos do Plano de Saúde e o profissional que trouxe grandes inovações em exames e aparelhos dentro da especialidade . Além de Taquaritinga, também atendeu em Dobrada, São Lourenço do Turvo e Santa Ernestina.

     Em entrevista ao Jornal Tribuna, o ‘taquaritinguense de coração’(como se considera) disse que passará a se dedicar em outros sonhos particulares, sendo grato pela carreira que construiu e o respeito que conquistou de seus incontáveis pacientes. “É muito gratificante receber votos de felicidade para essa nova jornada. Me despeço de cada um dos meus pacientes com a certeza de que me doei e dei o meu melhor em cada vida que passou pelas minhas mãos. Só peço que Deus abençoe meus planos e que eles coincidam com os Dele, pois assim que deve ser. As vezes planejamos tanta coisa, mas Deus tem algo diferente do que queremos. Então, desejo proteção a mim e a todos que cuidei e que agora estarão em outras mãos”, relata.

     Aos novos profissionais que levarão o ofício a diante, principalmente em sua área, dr. Gibertoni deixa sua palavra de incentivo e encorajamento para que nunca percam a sensibilidade e o seu compromisso em salvar vidas. “A Cardiologia é fascinante. Foi algo que me apaixonei desde o primeiro contato na faculdade. A doação na carreira é intensa, sem descanso, mas afirmo que vale a pena. Cada paciente que você salva, cada amizade que você faz com pessoas que depositam em suas mãos o bem mais valioso que existe, que é a vida, tudo é gratificante demais. É ver que você estava certo ao seguir seu instinto”, finaliza.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.