Diocese de Jaboticabal (SP) publica decreto autorizando retorno de missas presenciais em Setembro

Através de um documento com 47 itens de determinações listadas, o bispo da Diocese de Jaboticabal, Dom Eduardo Pinheiro da Silva, anunciou a autorização do retorno das missas presenciais em toda a diocese a partir do dia 12 de Setembro (sábado). A decisão é direcionada para as paróquias de Taquaritinga, Jaboticabal, Monte Alto, Guariba e Bebedouro.

As celebrações deverão seguir protocolos rigorosos de higiene, como o uso de álcool em gel na entrada e na saída das igrejas, distanciamento social obrigatório entre os fiéis e o uso de máscaras pelos religiosos sempre que estiverem fora do altar. Também está proibida a utilização de folhetos litúrgicos em papel.

O documento ainda informa que apenas fiéis com idade entre 15 e 59 anos e que estejam fora do grupo de risco (diabéticos, doenças cardíacas, respiratórias, etc) estão autorizados a acompanhar as celebrações presencialmente; a orientação é que o público restrito ainda acompanhe ás transmissões de missa pela internet.

Veja alguns dos itens do protocolo de segurança sanitária que deverá ser seguido:

– Cuidado rigoroso em relação ao uso de máscaras e distanciamento entre as pessoas. Higienização das mãos, objetos e ambiente litúrgico ao menos uma hora da celebração;

– Aplicação de álcool nas mãos dos fiéis na entrada e saída da igreja;

– Disponibilização de máscaras para os fiéis que esquecerem a sua;

– Redução de 30% da capacidade máxima no espaço celebrativo;

– Disponibilização de tapetes com solução de água sanitária e tecido seco para limpar os sapatos;

– Aferição de temperatura de todos os participantes da celebração;

– Janelas e portas deverão ser mantidas abertas;

– Interdição de banheiros, lavatórios e bebedouros, permitindo a utilização somente em caso de extrema urgência;

– Orientação para que não se toque em imagens sagradas;

– Delimitação do tempo de celebração em uma hora;

– Cancelamento da procissão de entrada da Equipe Celebrativa Completa;

– Exclusão de qualquer tipo de folheto litúrgico, informativos paroquiais ou qualquer objeto de papel;

– Espaçamento mínimo de 2 metros entre os fiéis. A regra não se aplica às pessoas da mesma família;

– Redução do grupo de canto, evitando a presença de pessoas pertencentes ao grupo de risco e que seja utilizado o menor numero possível de instrumentos musicais;

– Exclusão da procissão de oferendas. Estas deverão se concentrar na credência ao lado do altar ou ser conduzida ali somente por uma pessoa após ela ter feito a devida higienização das mãos;

– Realização do diálogo individual da comunhão (“Corpo de Cristo” – “Amém”) uma única vez. Assim, após os fieis rezarem “Senhor, eu não sou digno…”, o presidente da celebração dirá em voz alta “O Corpo de Cristo” e a Assembleia responderá “Amém”. Deste modo, a comunhão será distribuída em silencio, isto é, sem diálogo;

– Distribuição da comunhão diretamente nas mãos e nos lugares onde os fiéis, que estiverem preparados, se encontrarem posicionados em pé para recebê-la;

– Os fiéis deverão ser orientados a deixarem a igreja seguindo uma ordem fixada, em respeito ao distanciamento, e não se aglomerarem diante da igreja. As primeiras pessoas a saírem deverão ser as que tiverem mais próximas da porta, evitando, dessa forma, que se esbarrem.

(Foto: Ilustrativa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *