#DezembroLaranja: Dermatologistas de Taquaritinga (SP) falam sobre Câncer de Pele

Desde 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia promove a campanha “Dezembro Laranja”. A ação faz parte da mobilização nacional de prevenção ao câncer de pele e sempre é realizada no último mês do ano.

São desenvolvidas diferentes ações, em parceria com instituições públicas e privadas, para informar à população sobre as principais formas de prevenção e o caminho em busca de profissionais especializados para diagnóstico e tratamento.

Shadow
Slider

Para falar sobre o assunto, o Jornal Tribuna convidou duas dermatologistas de Taquaritinga (SP) para compartilharem dados importantes sobre a enfermidade na cidade e esclarecerem algumas dúvidas sobre a doença.

Dra. Juliana Piacente Carbonieri atende na Clínica Fina Pele. Agende sua consulta pelo telefone (16) 3252-2959.

Segundo a Dra. Juliana Piacente Carbonieri, houve um aumento de cerca de 40% do diagnóstico de câncer de pele em pacientes que a procuram em seu consultório particular. “Acho que o crescimento da procura pela consulta dermatológica fez com que o número crescesse; ou seja, os casos aumentaram porque os pacientes estão se preocupando mais quando notam algo de anormal na pele”, esclarece. Ela ainda pontua que a intensa exposição solar, tanto na infância quanto no local de trabalho, é o principal fator que traça o perfil semelhante dessas pessoas e que a maioria dos pacientes são mulheres.

A Dra. Márcia Ogata Coelho da Rocha, dermatologista da rede pública do município, concorda com os relatos da primeira médica ao afirmar que a conscientização e receio sobre a doença têm levado, cada vez mais cedo, a população nos postos de saúde. “Os pacientes estão mais orientados a procurarem, precocemente, um médico especializado quando percebem alguma alteração na pele. O diagnóstico tem aumentado, assim como o número de pessoas que estão buscando atendimento; no caso do SUS, tenho atendimento mais homens que, por conta do trabalho (principalmente em lavouras), acabam desenvolvendo a doença”, disse.

Abaixo, listamos os tipos de câncer de pele e o tratamento indicado para cada um deles:

Carcinoma basocelular (CBC): o mais prevalente dentro todos os tipos, ele tem baixa letalidade e pode ser curado em caso de detecção precoce. Os “CBC’s” surgem mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como a face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas e podem se desenvolver também nas áreas não-expostas, ainda que mais raramente. Em alguns casos, além da exposição ao sol, há outros fatores que desencadeiam seu surgimento.

Carcinoma espinocelular (CEC): segundo mais prevalente dentre todos os tipos de câncer, ele pode se desenvolver em todas as partes, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol. A pele nessas regiões, normalmente, apresenta sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda de elasticidade. O “CEC” é duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres. Assim como outros tipos de câncer de pele, a exposição excessiva ao sol é a principal causa da “CEC”; porém, não é a única.

Melanoma: tipo menos frequente dentre todos os cânceres de pele, o melanoma tem o pior diagnóstico e o mais alto índice de mortalidade. Embora o diagnóstico de melanoma normalmente traga medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura são mais de 90% quando há detecção precoce da doença.

A hereditariedade também desempenha um papel central no desenvolvimento da doença. As profissionais orientam para aquelas pessoas que possuem um machucado na pele e está custando a cicatrizar, ou pintas que surgem no corpo e que esteja aumentando de tamanho no decorrer do tempo, pode ser indícios de câncer de pele. Nesse caso, a recomendação é procurar um médico o quanto antes.

Atualmente o câncer de pele é responsável por 30% de todos os tumores malignos no Brasil e acomete mais de 165 mil brasileiros todos os anos, segundo o instituto Nacional do Câncer (INCA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *