“Somos uma máquina de atendimento à população”, diz Vanderlei Mársico sobre prefeitura de Taquaritinga (SP)

O prefeito de Taquaritinga, Vanderlei Mársico (PSDB), foi reeleito no último domingo com uma vantagem surpreendente sobre seu principal adversário, Paulinho Delgado (DEM). A diferença entre os principais postulantes ao cargo de exatos 4.335 votos é considerada expressiva, tendo em vista que Delgado é ex-prefeito de dois mandatos e teve o apoio aberto dos ex-prefeitos Tato Nunes e Fúlvio Zuppani.

Tido como favorito no inicio da corrida eleitoral, mas numa campanha totalmente atípica em razão da pandemia do novo Coronavírus, aos poucos Paulinho foi se desidratando e estacionou no patamar inicial de intenção de votos, enquanto Vanderlei entregou algumas obras que agradaram a opinião pública, como a interligação e pavimentação dos jardins Straccini, do Bosque e Maria Luzia com a Avenida Pedro Carletto e da remodelação do Parque Municipal ‘Prefeito Ernesto Salvagni’ (antiga represa da Colombo) com pistas de caminhada e passeios de pedalinho gratuitos para a população.

Com estruturas de campanha bem mais modestas os outros três postulantes ao paço municipal, Aristeu Silva (PRTB), Renato Scardoelli (PT) e Márcia Zucchi (PV), tiveram respectivamente 2.033, 1.691 e 842 votos, e não conseguiram emplacar a esperada ‘terceira via’ para oferecer ao eleitor uma alternativa ao cenário polarizado.

“Somos uma máquina de atendimento à população”

Em entrevista ao Jornal Tribuna na manhã de sexta-feira (20), Mársico fez uma análise sobre sua primeira gestão e também falou sobre os planos para o segundo mandato, atribuindo a conquista de mais eleitores ao trabalho e comprometimento com a população. “Muita coisa saiu da nossa primeira proposta de governo, pois você somente tem conhecimento das necessidades e prioridades da cidade quando você entra no gabinete. Acredito que a melhora na Saúde tenha sido um marco significativo na minha gestão, mas temos consciência de que é preciso fazer muito mais, assim como em todos os setores públicos do município”, disse.

Quanto à inauguração do Parque Ernesto Salvagni, que ocorreu dias antes da eleição, Vanderlei afirma que não havia um projeto inicial para o local e que as melhorias foram feitas conforme a execução da obra. Além disso, enfatiza que a área está apenas 40% concluída. “Não tínhamos um projeto e eu fui fazendo conforme as ideias surgiam. Ainda pretendemos fazer um local para piscinas, área de fontes e toboáguas, mas investiremos de acordo com o dinheiro que temos em caixa”, relata.

Considerado o “calcanhar de Aquiles” em razão de convivência pouca harmoniosa com o funcionalismo público, o prefeito elogia o quadro de funcionários e diz que incentivará, cada vez mais, a valorização pela classe. “Terceirizei apenas os serviços que não são feitos pela Prefeitura, porque se tivéssemos profissionais para todas nossas necessidades, com certeza utilizaríamos nosso quadro de funcionários. Há um equívoco de muitas pessoas em relação ao trabalho que exercem na Prefeitura, mas isso não é somente em Taquaritinga, isso é um fator cultural do brasileiro. Para muitos, ser servidor público é sinônimo de estabilidade e conforto, mas acabam se esquecendo da principal função, que é servir a população. Em outras gestões, o funcionalismo público não era valorizado, mas eu optei por utilizá-lo, para que ele trabalhe pela cidade”, enfatiza.

Vanderlei menciona que, em sua percepção, não recebeu apoio que gostaria do funcionalismo nas eleições. “Hoje calculo que 80% dos funcionários não votaram em mim. Muitos se queixaram do retorno das oito horas de trabalho, pois trabalhando apenas seis, acabaram arrumando outro emprego e não levaram a Prefeitura como prioridade de trabalho. Penso que, nesta situação, quem mais sofreu foi o cidadão, que passou a ter seu atendimento prejudicado. O menos culpado é o funcionário, pois ele estava à disposição dos prefeitos. Isso foi um erro de gestão e eu apenas cumpri o que foi determinado pela Lei”.

A maior capacitação dos funcionários é uma das propostas que o prefeito menciona como prioridade. “Trabalhamos com a conscientização de que o funcionalismo público está aqui para atender a população. Muitos prestam o concurso e não se dão conta do contrato que estão assinando com a Prefeitura. Eles possuem muitos direitos, mas tem muito deveres também. São mal-intencionados? Não! Apenas não estavam orientados de forma adequada ou faltava entusiasmo para se dedicarem às suas funções”, disse.

Questionado sobre as principais dificuldades nos últimos quatro anos, Vanderlei menciona o relacionamento político com a Câmara Municipal e a reformulação em cargos de confiança para a próxima gestão. Ainda, esclarece quais serão as prioridades da prefeitura a partir de 2021. “O relacionamento com a Câmara foi muito difícil nesses anos. Nós confiamos na primeira gestão e isso nos trouxe muita dificuldade, tanto na aprovação de nossos projetos como propostas para o próprio cidadão, por isso, trabalharemos para que haja uma aproximação. Hoje também queremos reestruturar as secretarias para que elas andem sozinhas e, com toda a certeza, o que não funcionar será substituído”, ressalta.

O prefeito aproveita para citar a finalização das obras e parte do planejamento da prefeitura a partir de 2021. “Resolvemos uma parte dos problemas, amenizamos outros e alguns não conseguimos solucionar. Queremos finalizar as obras que iniciamos por meio de fiscalização massiva das empreiteiras terceirizadas. Nossa função é ser uma administração para a cidade inteira, independente de quem votou ou não votou em nós. E o nosso principal objetivo é fazer a cidade andar; colocamos o ‘trem nos trilhos’ e agora ele está andando devagar, mas vamos acelerar com toda a certeza”, finaliza. 

    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *