Funcionários da agência dos Correios de Taquaritinga (SP) também aderem à greve nacional

Assim como ocorre na maioria dos estados brasileiros, os funcionários da agência dos Correios em Taquaritinga (SP) também aderiram à greve organizada pelo sindicato da categoria. Conforme informações obtidas, o atendimento ao público não foi prejudicado e o horário de funcionamento permanece normalizado; entretanto, houve uma pausa nos serviços de postagem de Sedex 10 e 12 horas.

Shadow
Slider

A decisão foi tomada após assembleias dos trabalhadores que buscam: reajuste salarial pela inflação (de 3,43%) e a manutenção de benefícios, como ter os pais como dependentes no plano de saúde e coparticipação de 30%, além de continuidade percentual de férias em 70% e vales alimentação e refeição.

A categoria é contra a privatização dos Correios; medida defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Segundo ele, a iniciativa melhoraria e baratearia os serviços prestados.

Em nota, a Assessoria de Imprensa dos Correios enviou um esclarecimento sobre a situação:

“A paralisação parcial dos empregados dos Correios, iniciada na terça-feira (10) pelas representações sindicais da categoria, não afeta os serviços de atendimento da estatal. A empresa já colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas. Um levantamento parcial realizado na manhã de quarta-feira (11) mostra que 82% do efetivo total dos Correios no Brasil está trabalhando regularmente. No interior de São Paulo, 81% dos empregados estão trabalhando normalmente”. 

A assessoria ainda informou que os Correios estão executando um plano de saneamento financeiro para garantir sua competitividade e sustentabilidade. “Desde o início de julho, a empresa participa de reuniões com os representantes dos empregados, nas quais foram apresentadas a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado, atualmente na ordem de R$ 3 bilhões (…). Os Correios contam com a compreensão e responsabilidade de todos os seus empregados, que precisam se engajar na missão de recuperar a sustentabilidade da empresa”.

Segundo a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), os funcionários dos Correios entraram em greve geral por tempo indeterminado. Uma audiência de conciliação está marcada para esta esta quinta-feira, às 13h30, em Brasília.

____________________________________________________________

(Reportagem feita com o auxílio de informações da Folha de São Paulo e do Portal G1 de Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *