#Esporte: Jogador taquaritinguense lamenta crise no SP e vislumbra seleção: ‘é um sonho’

Luiz Araújo, que já há alguns anos defende o Lille, da França, deixou aberta a possibilidade de, no futuro, retornar ao clube em que iniciou a carreira

(Reportagem: R7 – Esportes)

Nos últimos anos, o São Paulo tem se especializado em vender suas principais revelações logo que eles despontam no time principal. Foi assim com Antony e David Neres, que hoje em dia brilham juntos no Ajax, e também com Luiz Araújo, atacante que surgiu em 2016 e, no ano seguinte, já foi negociado com o Lille, da França.

Hoje em dia, com apenas 24 anos, Araújo já pode ser considerado um jogador com carreira consolidada na Europa, constantemente disputando as primeiras colocações do Campeonato Francês e até mesmo a UEFA Champions League. Mas ele ainda tem um objetivo: defender a seleção brasileira, algo que ainda não aconteceu na carreira:

“Sem dúvidas ainda é um sonho. Acredito que vestir a camisa e defender a seleção brasileira é o desejo de todos ou quase todos jogadores. É a maior campeã mundial, que sempre chega nas competições pra brigar pelo título. Ser convocado segue sendo um dos meus objetivos, com certeza”, revelou o jogador.

O atleta, contratado pelo São Paulo ainda nas categorias de base, vindo do Novorizontino, foi multicampeão pelo clube nos times inferiores, sendo o grande destaque da equipe campeã da Libertadores sub-20. Porém, não levantou taças pelo time principal, algo que ele admite que gostaria de ter feito. Aliás, pode ser até mesmo que realize, já que ainda hoje tem carinho pelo clube e, quando pode, acompanha jogos do Tricolor.

Confira os melhores trechos da entrevista com Luiz Araújo:

R7: O Lille tem feito boas temporadas, com direito a um vice e um 4º lugar recentemente. Acha que é possível brigar pelo título francês?

Luiz Araújo: Nas últimas temporadas conseguimos mostrar a força e qualidade do nosso elenco. Na temporada passada, estávamos firme na briga pela vaga na Champions, mas a competição foi encerrada com antecedência e acabamos não indo, mas mesmo assim fizemos uma boa campanha e estivemos sempre na parte de cima da tabela. Sempre pensamos jogo a jogo, buscando a vitória, mas creio que seja possível lutarmos entre os primeiros novamente.

R7: A liga francesa é cada vez mais forte. Além do PSG, com Neymar e Mbappé, o Lyon também tem investido pesado em contratações. Acredita que o campeonato está no mesmo nível das principais ligas europeias, como a inglesa e a espanhola?

LA: Acredito que sim. Muitas pessoas subestimam a Ligue 1, talvez por conta do alto investimento do PSG, mas quem acompanha sabe que é uma liga tão competitiva quanto as outras, que também estão entre as principais da Europa. O futebol francês é muito forte e bem disputado, então acho que está na elite do futebol mundial.

R7: Você surgiu no São Paulo ao lado de David Neres e rapidamente os dois já foram negociados. Gostaria de ter ficado mais tempo no clube e ter, quem sabe, conquistado um título pelo time profissional?

LA: Acho que as coisas acontecem como devem ser mesmo. O São Paulo sempre foi um clube que tive muito carinho e que me deu oportunidades. Seria bom ter ficado e buscar um título com a equipe, mas creio que era uma boa hora para vir à Europa. Porém ainda acompanho algumas partidas e torço pra que conquiste títulos novamente.

R7: Atualmente, o São Paulo vive uma grande crise. Você, que jogou por lá durante anos, consegue explicar esse momento complicado do clube?

LA: Infelizmente o São Paulo está passando por um momento delicado, onde a pressão e cobrança acabam aumentando naturalmente. O Fernando Diniz é um bom treinador e tem um elenco qualificado, então se as coisas se encaixarem, acho que é possível o clube brigar por títulos nesta temporada e nas próximas também.

R7: Na base do São Paulo, você foi multicampeão e, por isso, tem uma grande identificação com o clube. Gostaria de um dia voltar?

LA: Como falei, tenho um carinho muito grande pelo clube, que me deu grandes oportunidades. Cresci defendendo essa camisa e me orgulho disso. Se um dia aparecer uma chance que seja boa pra mim e pro clube também, terei a felicidade de vestir essa camisa tão pesada novamente.

R7: Seu nome geralmente é especulado no mercado, ou em alguns clubes do Brasil, ou até mesmo para permanecer na Europa. Você faz planos de se transferir, ou está feliz no Lille?

LA: No momento, estou feliz e focado apenas em ter um bom desempenho pelo Lille. Graças a Deus tive um bom início nesta temporada, marcando gols importantes para a equipe, e espero seguir assim para ajudar na briga por títulos. Temos a Europa League também, que é uma competição difícil e um dos nossos objetivos, então estou pensando apenas nisso mesmo.

R7: Apesar de já experiente, você tem apenas 24 anos muito tempo de futebol pela frente. Qual seu maior sonho na carreira?

LA: Sou muito feliz por tudo que já me aconteceu, mas ainda falta a seleção brasileira. Como falei, é um objetivo pessoal, um desejo grande em poder defender meu país e honrar a grandeza que é. Mas acredito que as coisas acontecem naturalmente e, quando for pra eu ser convocado, serei chamado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *