Projeto que autoriza empréstimo de R$ 27 milhões junto ao Desenvolve-SP tramita pela Câmara Municipal

Matão e Itapólis teriam captado R$25 milhões cada

Tramita na sessão ordinária da Câmara Municipal o projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo a contratar um empréstimo de até R$ 27 milhões de reais, junto ao Desenvolve SP – Agência de Fomento do Estado de São Paulo, que oferece opções de financiamento para empresas e municípios com juros mais baixos que os de mercado.
De acordo com o Projeto de Lei de autoria do Executivo os recursos obtidos com o empréstimo seriam utilizados da seguinte forma: R$ 10 milhões para projetos de ampliação, aquisição de área e infraestrutura para implantação de novo Distrito Industrial; R$ 3 milhões para projetos de expansão, inovação e modernização de iluminação pública em diversas ruas do município, a partir da troca de lâmpadas de vapor mercúrio, por lâmpadas de LED; R$ 5 milhões para projetos de instalação de uma Usina Fotovoltaica, a partir da Geração de Energia Solar Fotovoltaica; R$ 6 milhões para projetos de infraestrutura urbana e R$ 3 milhões para projetos de renovação de frota.
No total, o Desenvolve-SP está oferecendo 1 Bilhão de reais aos municipais do estado de São Paulo, com Juros de 3% ao ano acrescidos da Taxa Selic. Os municípios que contraírem os empréstimos terão 2 anos de carência para começar a pagar a dívida que deve ser quitada em 10 anos, ou seja, 120 meses.
Segundo o prefeito municipal a oportunidade é imperdível, seja pela carência para começar a pagar, pelo longo prazo para amortização a pela taxa de juros mais baixa do mercado. Tanto é bom negócio que vários municípios de todo estado e alguns da região já contrataram o empréstimo, dentre eles Matão (R$ 25 milhões), Rincão (R$ 10 milhões), Américo Brasiliense (R$ 15 milhões) e Itápolis (R$ 25 milhões).
Vereadores da oposição sustentam que o empréstimo pode comprometer futuras administrações, enquanto o prefeito afirma que apenas a economia gerada com as contas de energia elétrica seria suficiente para quitar as prestações e que um novo distrito industrial totalmente urbanizado traria a geração de emprego e renda a população.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.