Sem uso: Telefones públicos estão sendo retirados das ruas de Taquaritinga (SP)

Reportagem: Alessandra Cason

Depois de mais de 40 anos de sucesso, os telefones públicos de todo o Brasil vem perdendo a utilidade na “era digital” que a sociedade vive. Com a popularização dos aparelhos celulares, os “orelhões”, como são conhecidos, estão cada vez mais esquecidos nas vias públicas do país.

Em Taquaritinga (SP), a situação não é diferente. Os telefones de uso público possem pouca utilização dos munícipes e acabam sendo apenas objetos de depredação e vandalismo.

Funcionários realizam a desinstalação de telefones públicos em Taquaritinga (SP)

Acompanhado a atitude da Anatel em outros municípios, os funcionários da empresa estão retirando os “orelhões” das vias públicas de Taquaritinga (SP) desde o mês de Março. Até o momento, 135 unidades já foram retiradas. Os trabalhos da remoção devem se estender até o mês de Novembro de 2019. Em contato com a equipe de Assessoria de Comunicação da empresa VIVO, foi obtida a seguinte nota:

“A Vivo informa que a distribuição de telefones públicos (TUPs) segue a determinação legal (MCTIC) e regulatória (Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel). Com a disponibilização de novas tecnologias de comunicação, em especial ao massivo uso serviço móvel, a utilização dos orelhões está em acentuado declínio. Em 2018, no período de janeiro a dezembro, os telefones de uso público do Estado de São Paulo tiveram, em média, utilização de 1 crédito a cada 4 dias, inferior a 1 crédito por dia (o equivalente a uma chamada entre zero e dois minutos), sendo que mais da metade não teve utilização alguma. Desta pequena parte da base que ainda é utilizada, quando comparamos os 2 primeiros meses de 2019 com o mesmo período de 2018, a utilização reduz em 50%, enquanto temos em média utilização de 1 crédito a cada 3 dias no 1º bimestre de 2018, em 2019, a utilização é de apenas 1 crédito a cada 6 dias, quase 1 crédito por semana. Em relação as manutenções, a empresa possui sistema remoto que detecta defeitos nos aparelhos, além de realizar vistorias periódicas e presenciais dos orelhões para garantir o pleno funcionamento dos aparelhos à população. Mensalmente cerca de 25% dos telefones públicos do Estado de São Paulo sofrem algum tipo de vandalismo. Esse volume expressivo ocorre principalmente em cúpulas, aparelhos e postes, exigindo medidas adicionais para que os orelhões sejam reparados e estejam disponíveis ao público em boas condições. Em muitos casos, embora a ação não seja visível, o aparelho pode apresentar defeito devido aos atos de vandalismo. Para solicitar reparos, o usuário pode entrar em contato com a Central de Atendimento 103-15 (ligação gratuita) que funciona 24 horas nos sete dias da semana”.

Vale ressaltar que a proposta da Anatel não é extinguir os telefones disponíveis, e sim, reduzir o número dos aparelhos instalados nas ruas. Sendo assim, algumas unidades ainda permanecerão instaladas em alguns pontos do município.

Aproximadamente, 135 aparelhos de telefones públicos já foram retirados das vias públicas de Taquaritinga (SP) até a segunda quinzena do mês de Abril
Slider

Deixe uma resposta