Professores de Taquaritinga (SP) comentam tema da redação do ENEM 2019

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) deste ano surpreendeu boa parte dos estudantes que prestaram a prova no último domingo (3 de Novembro). Desenvolver um texto dissertativo-argumentativo sobre a questão da “Democratização do acesso ao cinema no Brasil” não foi uma tarefa fácil; o participante precisou mostrar que, além de um bom escritor, é também um bom leitor.

Slider

“Abordar uma problemática cultural não é novidade na proposta de redação do ENEM, mas como tema direto, acho que foi primeira vez. Existia, até então, uma prática de trabalhar com os alunos em sala de aula as principais temáticas abordadas durante o ano, baseadas nas discussões dos principais veículos de comunicação do Brasil. Havia a expectativa por alguns temas, como o aumento da Depressão e Suicídio entre os jovens, a questão da Doação de Órgãos e o Descarte do Plástico no Meio Ambiente, mas um tema inesperado como este privilegia o participante que, de fato, sabe escrever redação”, disse a professora de redação do Colégio Anjo da Guarda de Taquaritinga (SP), Isabela Falconi, em entrevista para o Jornal Tribuna.

Isabela Falconi é da cidade de Araraquara (SP) e professora de Redação do Ensino Médio e Cursinho Pré-Vestibular do Colégio Anjo da Guarda de Taquaritinga; escola referência em bons resultados e aprovações nas principais faculdades do país

Isabela ainda relata que a surpresa de um tema que não esteja em evidência na mídia causou certa insegurança em alguns estudantes. “Os participantes não tinham muita referência de autores que comentam diretamente o assunto, por isso, o conhecimento pessoal de cada um foi decisivo. Achei isso muito interessante, pois há muito o que discutir sobre o tema; por exemplo, a acessibilidade nas salas, a questão dos valores dos ingressos cobrados e localização dos cinemas. Se pensarmos assim, vemos que esse canal de cultura está direcionado para uma classe de médio/alto poder aquisitivo”.

Assim como nos últimos três anos, a temática da redação traz a proposta de quebrar o argumento decorado que o candidato carrega quando vai prestar a prova e os profissionais acreditam que essa prática deve se estender para outros vestibulares.

Antônio Elias Júnior é proprietário e professor do Cursinho Saber; escola fundada no ano de 2017 que utiliza o Sistema Poliedro de ensino e se dedica na preparação de estudantes para vestibulares

O proprietário e professor do Cursinho Saber de Taquaritinga, Antônio Elias Júnior, também comentou o tema e acredita que o assunto foi relevante e de extrema importância para que os candidatos se atentassem à essa lacuna cultural existente no Brasil. “O ENEM atinge estudantes de diversas realidades sociais e formações acadêmicas com rigores educacionais distintos e a seção da prova que mais se relaciona com essa heterogeneidade cultura/educacional é a redação. Portanto, apresentar uma proposta com um tema familiar a todas essas realidades é o que melhor qualifica o equilíbrio da prova. O aluno poderia tratar a proposta de intervenção; a argumentação dos candidatos deveria ser a favor da democratização, do acesso à cultura e sua importância”.

Isabela ainda explica que o aprendizado na estruturação do texto está cada vez mais trabalhado nas escolas. Essa prática ajuda o estudante a entender o processo de escrita (introdução – desenvolvimento – conclusão) e, quando bem compreendido, cria a segurança intelectual para dissertar sobre qualquer tema. “Conversei com meus alunos e acho que a maioria deles obteve sucesso na primeira fase. Agora, estamos ansiosos pelo segundo dia de prova e, claro, pelo resultado final”.

A segunda e última etapa do exame acontecerá neste domingo (10 de Novembro) com a abertura dos portões feita a partir das 12h. O gabarito oficial estará disponível no site oficial no dia 13 de Novembro e o resultado individual está previsto para ser divulgado no mês de Janeiro de 2020.

Deixe uma resposta